terça-feira, agosto 30, 2016

O Alentejo Visto do Céu

domingo, agosto 28, 2016

Lorosae

sexta-feira, agosto 05, 2016

Astúrias

Durante muitos anos eu cortei o cabelo no Salão do Mineiro, no Bairro São Bernardo. Preço: 15 reais.
Bom papo, boas piadas num lugar tranquilo, por lá me acostumei.
Em 2013 eu resolvi deixar crescer o meu cabelo e deixei "rabo de cavalo". O corte periódico passou a ser sòmente nas laterais e na nuca, o tradicional pé. Mas o Mineiro não se actualizou, ignorou os modernismos e eu fui forçado a encontrar outro profissional.
Encontrei o André, um garoto espectacular e bom profissional, lá no Salão do Dado, na Vila Teixeira. Muito conveniente para mim, pois o preço de 20 reais e a localização estavam a meu favor.
Este último Salão é de alto gabarito e porta uma série de especialidades para os dois sexos. Até me surpreende que o preço não seja mais elevado...
Ali, o André lava o meu cabelo e o corta depois. Apara ligeiramente a minha barba, as sobrancelhas e corta os pelos das orelhas e nariz. Tudo isto enquanto travamos um diálogo agradável. Passou a cobrar 25 reais desde a última vez que lá fui e achei que estava dentro da normalidade.
Como o André teve um acidente e machucou uma das mãos e eu necessitava cortar o cabelo, excepcionalmente tentei recorrer a outro profissional. Aproveitei uma ida ao centro velho da cidade e percorri a Rua Luzitana onde, outrora, havia vários pequenos salões que até cobravam um preço bem menor em relação à média. Mas não encontrei mais qualquer um deles. Achei, quase na esquina da Luzitana com a General Osório, o Salão Astúrias.
Parei em frente à porta, na calçada e vi 3 cadeiras antigas de barbeiro vazias e 3 profissionais sentados nas cadeiras da parede conversando. Gostei do lugar.
Perguntei a mim mesmo se eles estariam modernizados e não como o Mineiro. Antes, porém, perguntei o preço de um corte de cabelo (já estou escaldado...) e um dos profissionais encheu o peito e respondeu: 60 reais! Agradeci, educadamente como não poderia deixar de ser e fui embora. Vou esperar o André estar recuperado...
Eu até sei de lugares onde se corta o cabelo por preço muito mais elevado, chegando até a cem paus, mas isso é outra conversa. No centro que precisa de revitalização e em plena crise económica, praticar preços como os que o Salão Astúrias pratica, é caminho para rápido fechamento das portas. Suponho que os 60 reais seriam divididos pelos três e teriam salvo o dia...
O Príncipe de Astúrias herdou o trono de Espanha e é Rei, mas isso não tem nada a ver com a barbearia...

quarta-feira, agosto 03, 2016

Portugal nas Olimpíadas

O desporto português estará representado por 92 atletas em 16 modalidades nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Vista ao raios-X, a comitiva portuguesa é maioritariamente composta por estreantes: 54 dos atletas terão no Rio 2016 a primeira experiência olímpica. Entre os 38 restantes destaca-se o velejador João Rodrigues, que vai disputar os seus sétimos Jogos Olímpicos – o madeirense foi por isso escolhido pelo chefe da missão olímpica portuguesa, José Garcia, para ser o porta-estandarte de Portugal na cerimónia de abertura.
Os homens representam mais de dois terços da delegação portuguesa (62 atletas contra 30 elementos femininos) e João Rodrigues é, com 44 anos, o terceiro mais veterano da delegação portuguesa. Só é ultrapassado pela cavaleira Luciana Diniz (45 anos) e pelo atirador João Costa (51). A média de idades dos 92 atletas portugueses situa-se nos 27,7 anos, sendo Tamila Holub a mais jovem do grupo – a nadadora que vai disputar os 800m livres tem apenas 17 anos. A selecção de futebol é responsável pela presença de um número considerável de atletas jovens na delegação, já que a convocatória é limitada ao escalão sub-23. Só é permitida a inclusão de três futebolistas com mais de 23 anos.
Para além de João Rodrigues, entre os atletas com mais presenças nos Jogos Olímpicos estão o atirador João Costa, o marchador João Vieira e o velejador Gustavo Lima, que vão cumprir no Rio de Janeiro a quinta participação olímpica. Seguem-se Telma Monteiro (judo) e Emanuel Silva (canoagem), que já estiveram em três Jogos Olímpicos. E o canoísta é um de apenas três atletas na comitiva com medalhas olímpicas no currículo. Emanuel Silva subiu ao pódio nos Jogos de Londres 2012, tendo conquistado a medalha de prata na prova de K2 1000m em conjunto com Fernando Pimenta. O outro medalhado da comitiva é Nelson Évora, que se sagrou campeão olímpico em Pequim 2008 no triplo salto.
Nascido na Costa do Marfim, Nelson Évora é um dos 19 atletas nascidos fora de Portugal que vão competir por Portugal no Rio 2016. No que diz respeito à naturalidade, este é o contingente mais numeroso – seguido pelo dos naturais do distrito de Lisboa, que totaliza 16 elementos. No top das origens dos atletas seguem-se o Porto, com 12 atletas, Braga (nove) e Leiria (sete). Quase todo o país está representado, Açores (um atleta) e Madeira (três) incluídos. Só não há atletas oriundos dos distritos de Castelo Branco, Évora, Portalegre e Vila Real.
Entre os nascidos no estrangeiro, há três desportistas com raízes em França (a maratonista Jéssica Augusto, a varista Maria Leonor Tavares e o golfista Filipe Lima). As mesatenistas Fu Yu e Shao Jieni nasceram na China; já a cavaleira Luciana Diniz e o velejador Gustavo Lima nasceram no Brasil. Angola, Bulgária, Congo, EUA, Guiné-Bissau, Inglaterra, Moldávia, Rússia, São Tomé e Príncipe, Suíça e Ucrânia são os países que compõem a lista.
Um estudo conduzido por elementos do Imperial College de Londres concluiu que os portugueses "cresceram" 13,9 centímetros e as portuguesas 12,5 nos últimos 100 anos. A média de alturas, actualmente, situa-se nos 172,9 centímetros para os homens e 163cm para as mulheres. Mas os desportistas que vão ao Rio 2016 estão um pouco acima desses valores: a média de altura da delegação está em 175,4 centímetros, com o valor entre os homens a ser de 179,8 e para as mulheres de 166,2. Segundo os dados do Comité Olímpico de Portugal, o mais alto da comitiva é Tsanko Arnaudov, que competirá no lançamento do peso: mede 198 centímetros, mais quatro do que Tiago Ferreira (ciclismo BTT) e mais seis do que o judoca Célio Dias. A mulher mais alta é Irina Rodrigues, do lançamento do disco, com 183 centímetros.
No extremo oposto estão três elementos do atletismo: Marta Pen (1500m) tem 153 centímetros de altura, seguida por Daniela Cardoso (20km marcha) e Salomé Rocha (10.000m), ambas com 157cm. David Rosa, que repete a presença de Londres 2012 no ciclismo BTT, é o mais baixo da delegação entre os homens: 164 centímetros. O atleta nascido em Fátima é também o homem mais leve, pesando 52 quilos. Mas ninguém pesa menos do que Jéssica Augusto, a mais leve da comitiva com 44 quilos. Tsanko Arnaudov é, para além do mais alto, também o mais pesado: 155 quilos.

Compilação de:
https://www.publico.pt/desporto/noticia/quem-sao-os-atletas-portugueses-que-vao-estar-no-rio-2016-1739877