segunda-feira, setembro 27, 2010

Dívidas...


sábado, setembro 25, 2010

Sinais

Segundo informações recebidas da Ilha, nota-se nervosismo no governo cubano. Existe a possibilidade de ser cortado o cordão umbilical com a Venezuela e isso geraria uma crise sem precedentes, pior até mesmo quando do fim da URSS. Tudo depende do que aconteça amanhã nas urnas venezuelanas e o futuro de Cuba está muito ligado a tudo isso.

domingo, setembro 19, 2010

Timor num clic

O novo Sapo.tl será lançado em cooperação com a Timor Telecom e será, pela primeira vez, bilingue, com versões em tétum e português.
A Sapo e a Timor Telecom lançam hoje o novo Sapo.tl, o portal Sapo para Timor-Leste, divulgam em comunicado.
O portal terá duas versões, uma em português, a outra em tétum, o outro idioma oficial do país, tornando este o primeiro portal bilingue do universo Sapo.
Entre as valências do portal contam-se a actualização noticiosa através do Sapo Notícias, em cooperação com a outros órgãos de comunicação social presentes em Timor como o Jornal Semanário, o Jornal Nacional Diário e o CJITL (Centro de Jornalistas de Investigação de Timor-Leste), e a Lusa em Timor-Leste.
O Sapo Timor-Leste disponibilizará inclusive uma plataforma de e-mail com o domínio do país, .tl, e “áreas específicas de Pesquisa, Vídeos, Fotos, Blogs, criação de Sites, Directório, Messenger e incorporação do directório das Páginas Amarelas no serviço de Pesquisa”, informa a Sapo.

sábado, setembro 18, 2010

Alentejo e Morumbi

Há 50 anos atrás não era de muito decoro escrever estas duas palavras juntas ou abordar temas aos respectivos locais relacionados.
Afirmo isto olhando pelo lado de escritores alentejanos radicais como, Antunes da Silva, Jorge Morais, Alexandre Cabral Altino Tojal, Eduardo Coelho, Maria da Graça Cid e uma penca de muitos outros.
Mas os pensamentos e as situações mudaram muito, como da água para o vinho. O Morumbi sempre foi e é um bairro nobre de São Paulo e o Alentejo… Ah! esse foi promovido e como! Basta dizer que pago aqui por uma garrafa de Esporão, do bom, 100 euros. E a Planície está de vestes novas. Falar no Alentejo hoje é falar de coisa de grão fino…
Mas eu não vim aqui hoje para escrever sobre um e outro local e sim a respeito de três personagens que, se não oriundos todos, devidamente entrosados com os pedaços.
A minha amiga Dora, do Morumbi, fica horas a fio na internet e adora fazer isso. Entendo-a perfeitamente, pois eu também sou quase assim. O outro alentejano, nosso amigo Ramos, é mais vivaço… Dá uma baliscadinha aqui e outra ali e logo recebemos aquela mensagem ou arremate de adeusinho e até amanhã.
Este alentejano que vos escreve está chegando à conclusão que muito tempo de internet não é nada bom; não quero aqui voltar a falar de doenças, mas sinto que essa ocupação de muitas horas vai de encontro ao que tanto afirmam os especialistas. O outro alentejano já deve ter percebido isso há mais tempo, além de que é uns anos mais novo… A moça do Morumbi logo vai perceber isso também.
Pena que não nos possamos reunir os três na mesa de um bar, com frequência, e colocar a prosa em dia.

quinta-feira, setembro 16, 2010

Timor e o Mundo



A Timor Telecom, participada da Portugal Telecom, apresentou hoje um novo
pacote de acesso à Internet 3G, o "kit" Net TT, em parceria com a Caixa
Geral de Depósitos (BNU) Timor e o portal Sapo Timor Leste.

Segundo o director comercial da TT, Bernardino Machado, o Net TT está
disponível mediante pré-reserva através do portal Sapo Timor-Leste e será
comercializado a partir de Outubro, sendo constituído por um portátil HP
Notebook, uma pen 3G, o cartão SIM e 10 dólares de tráfego.

O pacote irá ser comercializado a pronto pagamento pelo valor de 500
dólares, ou em 12, 18 e 24 meses, com prestações mensais a partir de 25
dólares, através do crédito da CGD/ BNU Timor.

"Uma das grandes novidades deste pacote é o acesso à Internet ser agora
possível através de carregamento pré- pago, portanto sem quaisquer
obrigações de pagamento mensal", referiu aquele responsável.

Segundo Bernardino Machado, o Net TT é o resultado de um projecto que tem
vindo a ser desenvolvido, ao longo dos últimos meses, "para fomentar o
desenvolvimento da sociedade de informação em Timor-Leste, contribuindo para
a ligação do povo timorense ao mundo".

"Vai também permitir e facilitar que grande parte das famílias e a população
em geral possam de forma simples, e a um preço extremamente acessível, ter
um computador e aceder à Internet a partir de sua casa", disse.

"Este projecto surge na sequência do elevado investimento que a Timor
Telecom tem vindo a fazer ao longo do último ano, reforçando fortemente a
cobertura de 3G, actualmente disponível nos distritos de Díli, Aileu, Gleno,
Baucau, Oecussi e Los Palos e no final do ano em todos os distritos do
país", anunciou.


Diário Digital / Lusa

Cartão do Cidadão





http://www.cartaodecidadao.pt/

quarta-feira, setembro 15, 2010

Renovação da Vida



Confesso ser ignorante no campo da botânica, bem como noutros campos do conhecimento. Aceito como normal. Planto uma árvore, tento cuidar dela da melhor forma e que nem sempre é (…), enfim. Trato do meu jardim e por vezes procuro alguma informação entre os amigos ou nos livros e internet.
Já aqui escrevi muito sobre o assunto, desde o ano de 2000 em que o plantei definitivamente na calçada de casa. Demorou alguns anos para dar a primeira florada e sei que a actual é a quarta.
Neste ano de 2010 aconteceram coisas estranhas com o meu Ipê Amarelo (gosto de o citar assim com letra maiúscula) e, curiosamente, comigo também. Parece ter havido uma relação mágica entre nós que a Natureza se encarregou de administrar. Uma dessas coisas que aconteceu com ele foi a primeira floração na época certa, pois que nos anos anteriores o El Ninho e La Ninha bagunçaram tudo.
Já aqui escrevi, também, sobre recentes acontecimentos relacionados com a minha saúde. E sobre isto há algum tempo mantenho a dúvida se devo ou não entrar em contacto, conversando ou escrevendo, com aquele que foi o meu primeiro cardiologista; o primeiro da minha vida que, como o primeiro amor, jamais esquecerei… Essas coisas do coração são muito estranhas, profundas e às vezes até indecifráveis ou enganadoras.
Optei por escrever sobre o assunto, dirigindo-me ao médico, na forma de uma crónica e com a certeza que ele vai ter oportunidade de lê-la. Outros médicos, bons e maus, acabarão por encontrar esta prosa nos cafundéus da internet e eu considero isso muito positivo. Só que me reservo citar nomes de quem quer que seja mas garantindo a veracidade dos factos.
Aquelas anormalidades no meu sono e as constantes faltas de ar que me acordavam durante a noite, tudo associado à minha condição de hipertenso, levaram-me a pesquisar na internet com base nos sintomas. Cheguei à conclusão que estaria sofrendo de “Dispneia Paroxística Noturna” --- Nome pomposo…
O primeiro médico, clínico geral, que me atendeu nos serviços de urgência do Hospital, mandou fazer ali mesmo alguns exames clínicos de sangue e urina e tirar raio X do tórax e do coração. Observou tudo minuciosamente e em relação às radiografias achou que estava tudo bem com o coração e com os pulmões. A mesma avaliação do meu médico do Posto de Saúde que visito a cada 6 meses. Não obstante, reconhecedor da precariedade dos serviços públicos de saúde, o SUS, orientou-me a que eu procurasse um cardiologista particular.
Foi o que eu fiz. Indicaram-me uma clínica barata que oferecia serviços de várias especialidades médicas, inclusivamente cardiologia. Reparei ser grande o movimento e indaguei-me sobre se não haveria pacientes cujos casos fôssem análogos ao meu…
Normalmente as primeiras palavras que o médico dirige ao paciente são perguntas sobre o que este está sentindo. E aqui eu acho que cometi o crasso erro de ter citado a tal de “Dispneia Paroxística Noturna” acrescentando  mais alguns detalhes e mostrando os exames e radiografias que comigo levara.
O cardiologista confirmou que eu estava com aquela doença --- quem sabe se eu estaria com outra se outra eu tivera citado (?) ---. Fôram-me dadas todas as explicações sobre o tamanho grande do coração e as dificuldades do mesmo no bombeamento do sangue para os pulmões, etc., etc., etc..
A receita foi um conjunto de 4 comprimidos de consumo continuado e, por sinal, bem caros… E como surgiu uma dúvida a respeito de um deles, consegui na internet achar um endereço de e-mail do médico, coloquei-lhe a dúvida e ele respondeu-me. Óptimo! Sabia, a partir dali, que teria facilidade de comunicação num caso de necessidade.
Essa medicação começou a exercer uma série de sintomas desagradáveis  e alterações no organismo, ao ponto de eu acreditar que a minha vida estaria por um fio. A cabeça começou a absorver tudo isso e cheguei ao ponto de começar a entristecer-me quando pensava que talvez não brincasse mais com os meus netos e que estava prestes a deixar de usufruir coisas boas da vida e até mesmo a morrer em curto espaço de tempo. Comecei a ficar muito deprimido e reconhecendo que isso não é doença de rico (…) ao acontecer comigo também.
Não dava mais para aguentar os efeitos directos e os colaterais daquele conjunto de medicamentos. Fìsicamente eu estava um trapo; psicològicamente um louco. Fobias me invadiram e agora é que eu não dormia nem os pouquinhos de anteriormente. Tentei um contacto por e-mail com o médico, mas desta vez ele não abriu a caixa postal ou não se interessou. Esperei os dias faltantes para o retorno agendado.
Disse-me que não abria a caixa de e-mail há algum tempo, mas que me responderia mesmo eu tendo estado ali (…). Perguntei sobre o que me estava deixando naquele estado; se o coração ou os medicamentos. E a resposta foi peremptória: o coração! E que teria que tomar os medicamentos pelo resto da vida. E foi aqui que o meu mundo caíu definitivamente. À minha sugestão de opção por outros tipos de exame, limitou-se a passar um pedido de ecocardiograma, mas que não havia necessidade de pressa no mesmo.
Nem foi necessária a orientação de que eu não poderia fazer qualquer tipo de esforço, pois sentia uma deficiência total na força de braços e pernas, além de tonturas, ânsias e outras coisas mais. Quase não podia trabalhar e limitava-me a dar orientações no meu serviço.
Um dia todos esses sintomas se multiplicaram à enésima potência e tiveram que me transportar para as emergências do hospital. Atendimento de urgência com estabilização da pressão e exames clínicos e radiológicos. E quando tudo pronto, o clínico geral para onde me encaminharam escutou a minha história, avaliou os exames que estavam bons e confirmou que o coração estava enorme, apontando-me o local da expansão do mesmo. Traçou um quadro tão negro que a minha pressão caíu a 7 x 4 e precisei de socorro emergencial para não bater com as dez
Liberado e já em casa, comecei a pensar numa segunda opinião, de outro cardiologista. Porém, continuei tomando os medicamentos com receio que a sua suspensão pudesse vir a ser trágica.
Dois dias depois lá estava eu no consultório daquele que vim a saber, mais tarde, ser um dos maiores do Brasil. Fui aconselhado por um familiar que dele é paciente há alguns anos.
Pacientemente ouviu tudo o que eu tinha a dizer, perguntou outras tantas coisas e ainda ficou com o relatório diário que eu escrevera desde o início da novela. Às tantas, ordenou que me deitasse na maca, mas antes disse-me que o meu coração era normal e que aquele lugar onde me tinham apontado a expansão do órgão não tinha nada a ver. Eu nem queria acreditar no que estava ouvindo e cheguei às lágrimas de comoção. Toda aquela medicação assassina foi suspensa de imediato e uma bateria de exames foi marcada, dos mais simples aos mais sofisticados. Com tudo pronto retornei e tomo hoje dois comprimidos básicos: um para controlar a pressão e o outro para dormir, pois há muitos danos a serem reparados. A receita foi um programa de exercícios físicos indicados ao meu caso e numa academia especializada com os seguintes objectivos: --- perda de massa gorda abdominal; controle da ansiedade e da pressão; controle metabólico. Depois de aprendê-los correctamente, poderei fazê-los onde quiser.
Há perguntas que não querem calar: é possível um médico, seja de que especialidade fôr, não saber interpretar uma radiografia do tórax, ao ponto de confundir a localização e tamanho do coração? Poder-se-á afirmar que há conluios entre médicos e laboratórios? --- Não me vou embrulhar nessa selva.
Parece haver aqui uma grande confusão, mas não é verdade. Eu comecei a escrever sobre o meu Ipê e passei para assunto da minha saúde. Mas tem tudo a ver uma coisa com a outra.
O Ipê deu a sua florada e nesse mesmo dia choveu, coisa que não acontecia há alguns longos meses. Por isso, foi uma florada meio murcha e tímida que durou 3 dias apenas. Fiquei triste e preocupado com isso. Caíram todas as flores e eu preparei-me para a poda, pois é necessário cortar uns galhos. Porém, notei que a árvore estava brotando novas flores e desta vez em muito maior número. Nunca vi acontecer uma coisa dessas e nem mesmo sei se é um fenómeno ou qual a justificativa.
Só sei que ambos nascemos de novo. É aqui que está a relação do meu Ipê comigo. Cada um de nós tem duas vidas… Os dois andámos pisando a linha da fronteira e voltámos para a vida com o coração renovado e só grande porque cheio de alegria e de amor. Nas árvores isso é expresso pelo aroma e pela côr das flores. Nos homens pelo relacionamento carinhoso e sem rancores, mas indicando o dedo na direção a seguir…

terça-feira, setembro 14, 2010

Fome de Marina

Há pouco, Caetano Veloso descartou do seu horizonte eleitoral o presidente Lula da Silva, justificando: “Lula é analfabeto”. Por isso, o cantor baiano aderiu à candidatura da senadora Marina da Silva, que tem diploma
universitário. Agora, vem a roqueira Rita Lee dizendo que nem assim vota em Marina para presidente, “porque ela tem cara de quem está com fome”.
Os Silva não têm saída: se correr o Caetano pega, se ficar a Rita come.
Tais declarações são espantosas, porque foram feitas não por pistoleiros truculentos, mas por dois artistas refinados, sensíveis e contestadores, cujas músicas nos embalam e nos ajudam a compreender a aventura da
existência humana.
Num país dominado durante cinco séculos por bacharéis cevados, roliços e enxudiosos, eles naturalizaram o canudo de papel e a banha como requisitos indispensáveis ao exercício de governar, para o qual os Silva, por serem iletrados e subnutridos, estariam despreparados.
Caetano Veloso e Rita Lee foram levianos, deselegantes e preconceituosos. Ofenderam o povo brasileiro, que abriga, afinal, uma multidão de silvas famélicos e desescolarizados. De um lado, reforçam a ideia burra e cartorial de que o saber só existe se for sacramentado pela escola e que tal saber é condição sine qua non para o
exercício do poder. De outro, pecam querendo nos fazer acreditar que quem está com fome carece de qualidades para o exercício da representação política.
A rainha do rock, debochada, irreverente e crítica, a quem todos admiramos, dessa vez pisou na bola feio.“Venenosa! Êh êh êh êh êh!/ Erva venenosa, êh
êh êh êh êh!/ É pior do que cobra cascavel/ O seu veneno é cruel…/ Deus do céu!/ Como ela é maldosa!
Nenhum dos dois - nem Caetano, nem Rita, têm tutano para entender esse Brasil profundo que os silvas representam.
A senadora Marina da Silva tem mesmo cara de quem está com fome? Ou se trata de um preconceito da roqueira, que só vê desnutrição ali onde nós vemos uma
beleza frágil e sofrida de Frida Kahlo, com seu cabelo amarrado em um coque, seus vestidos longos e seu inevitável xale? Talvez Rita Lee tenha razão em ver fome na cara de Marina, mas se trata de uma fome plural, cuja geografia precisa ser delineada. Se for fome, é fome de quê?
O mapa da fome. A primeira fome de Marina é, efetivamente, fome de comida, fome que roeu sua
infância de menina seringueira, quando comeu a macaxeira que o capiroto ralou. Traz em seu rosto as marcas da pobreza, de uma fome crónica que nasceu com ela na colocação de Breu Velho, dentro do Seringal Bagaço, no Acre.
Órfã da mãe ainda menina, acordava de madrugada, andava quilómetros para cortar seringa, fazia roça, remava, carregava água, pescava e até caçava. Três de seus irmãos não aguentaram e acabaram aumentando o alto índice de mortalidade infantil.
Com seus 53 quilos atuais, a segunda fome de Marina é dos alimentos que, mesmo agora, com salário de senadora, não pode usufruir: carne vermelha, frutos do mar, lactose, condimentos e uma longa lista de uma rigorosa dieta prescrita pelos médicos, em razão de doenças contraídas quando cortava seringa no meio da floresta. Aos seis anos, ela teve o sangue contaminado
por mercúrio. Contraiu cinco malárias, três hepatites e uma leishmaniose.
A fome de conhecimentos é a terceira fome de Marina. Não havia escolas no seringal. Ela adquiriu os saberes da floresta através da experiência e do mundo mágico da oralidade. Quando contraiu hepatite, aos 16 anos, foi para a cidade em busca de tratamento médico e aí mitigou o apetite por novos saberes nas aulas do Mobral e no curso de Educação Integrada, onde aprendeu a ler e escrever.
Fez os supletivos de 1º e 2º graus e depois o vestibular para o Curso de História da Universidade Federal do Acre, trabalhando como empregada doméstica, lavando roupa, cozinhando, faxinando.
Fome e sede de justiça, essa é sua quarta fome. Para saciá-la, militou nas Comunidades Eclesiais de Base, na associação de moradores de seu bairro, no movimento estudantil e sindical. Junto com Chico Mendes, fundou a CUT no Acre e depois ajudou a construir o PT. Exerceu dois mandatos de vereadora em Rio Branco , quando devolveu o dinheiro das mordomias legais, mas escandalosas, forçando os demais vereadores a fazerem o mesmo. Elegeu-se deputada estadual e depois senadora, também por dois mandatos, defendendo os índios, os trabalhadores rurais e os povos da floresta.
Quem viveu da floresta, não quer que a floresta morra. A cidadania ambiental faz parte da sua quinta fome.
Ministra do Meio Ambiente, ela criou o Serviço
Florestal Brasileiro e o Fundo de Desenvolvimento para gerir as florestas e estimular o manejo florestal. Combateu, através do Ibama, as atividades predatórias. Reduziu, em três anos, o desmatamento da Amazónia de 57%, com a apreensão de um milhão de metros cúbicos de madeira, prisão de mais 700 criminosos ambientais,
desmonte de mais de 1,5 mil empresas ilegais e inibição de 37 mil propriedades de grilagem.


Tudo vira bosta! Esse é o retrato das fomes de Marina da Silva que - na voz de Rita Lee – a descredencia para o exercício da presidência da República porque, no frigir
dos ovos, “o ovo frito, o caviar e o cozido/ a buchada e o cabrito/ o cinzento e o colorido/ a ditadura e o o primido/ o prometido e não cumprido/ e o programa do partido: tudo vira bosta”.
Lendo a declaração da roqueira, é o caso de devolver-lhe a letra de outra música - ‘Se Manca’ - dizendo a ela: “Nem sou Lacan/ pra te botar no divã/ e ouvir sua merda/ Se manca, neném!/ Gente mala a gente trata com desdém/ Se manca, neném/ Não vem se achando bacana/ você é babaca”.
Rita Lee é babaca? Claro que não, mas certamente cometeu uma babaquice. Numa de suas músicas - ‘Você vem’ - ela faz autocrítica antecipada, confessando:
“Não entendo de política/ Juro que o Brasil não é mais chanchada/ Você vem… e faz piada”. Como ela é mutante, esperamos que faça um gesto grandioso, um
pedido de desculpas dirigido ao povo brasileiro, cantando: “Desculpe o auê/ Eu não queria magoar você”.
A mesma bala do preconceito disparada contra Marina atingiu também a ministra Dilma Rousseff, em quem Rita Lee também não vota porque, “ela tem cara de professora de matemática e mete medo”. Ah, Rita Lee conseguiu o milagre de tornar a ministra Dilma menos antipática! Não usaria essa imagem, se tivesse aprendido elevar uma fração a uma potência, em Manaus, com a
professora Mercedes Ponce de Leão, tão fofinha, ou com a nega Nathércia Menezes, tão altaneira.
Deixa ver se eu entendi direito: Marina não serve porque tem cara de fome. Dilma, porque mete mais medo que um exército de logaritmos, catetos, hipotenusas, senos e co-senos. Serra, todos nós sabemos, tem cara de vampiro. Sobra quem? Se for para votar em quem tem cara de quem comeu (e gostou), vamos ressuscitar, então, Paulo Salim Maluf ou Collor de Mello, que exalam saúde por todos os dentes. Ou o Sarney, untuoso, com sua cara de ratazana bigoduda. Por que não chamar o José Roberto Arruda, dono de um apetite voraz e de cuecões multi-bolsos? Como diriam os franceses, “il péte de santé”.
O banqueiro Daniel Dantas, bem escanhoado e já desalgemado, tem cara de quem se alimenta bem. Essa é a elite bem nutrida do Brasil…
Rita Lee não se enganou: Marina tem a cara de fome do Brasil, mas isso não é motivo para deixar de votar nela, porque essa é também a cara da resistência, da luta da inteligência contra a brutalidade, do milagre da sobrevivência, o que lhe dá autoridade e a credencia para o exercício deliderança em nosso país.
Marina Silva, a cara da fome? Esse é um argumento convincente para votar nela. Se eu tinha alguma dúvida, Rita Lee me convenceu definitivamente.

Por José Ribamar Bessa Freire
Professor, coordena o Programa de Estudos dos Povos Indígenas (UERJ)e pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Memória Social (UNIRIO)

segunda-feira, setembro 13, 2010

Sagres em Timor

Fiquei muito feliz em saber disto e imagino o quanto também terão ficado os timorenses. Que bela imagem será a desse nosso belo veleiro nas águas de Díli. Gostaria de estar presente.

Díli, 12 set (Lusa)
O navio-escola Sagres aportou hoje em Díli, para completar mais uma etapa na viagem, a terceira que faz de volta ao Mundo, e a sua maior viagem de sempre, numa missão que começou em Janeiro, em Lisboa.
Timor-Leste, onde vai permanecer até ao dia 18, é escala obrigatória pelos laços de cooperação que se desenvolvem entre a Marinha Portuguesa e a componente naval das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL).
Alguns dos elementos da componente naval das F-FDTL integram a tripulação, durante a estadia, sendo de referir que o tenente timorense Nicolau de Sousa, já havia embarcado na Sagres, fazendo a viagem entre Tóquio e Díli.

Maravilha Naturalíssima

"A ausência do Alentejo entre as Sete Maravilhas Naturais em nada belisca o turismo da região", referiu ao CM Ceia da Silva, presidente do Turismo do Alentejo. "Continuará a ser a única região do País com o primeiro prémio, que é o aumento anual de turistas", acrescentou Ceia da Silva, que defende que "os destinos turísticos não podem ser construídos por concursos".

Com estas frescuras dos direitos autorais que em tudo se coloca aviso a esmo, não conseguimos dar uma melhor qualidade às matérias. Mas o pequeno resumo acima, tirado do jornal Correio nda Manhã, ainda assim dá uma ideia de que os "jurados" desses concursos são, na verdade, uns aitênticos labrêgos, patêgos, manêses, pés de chaparro e com mais uma centena de predicados a assentarem-lhe como uma luva.
Demorou muio para que as mentes mais se esclarecessem e começassem a ver o Alentejo com outros olhos que não aqueles da ignorância e bairrismo estúpido. Mesmo assim, com todas as evidências de que o Alentejo é uma região única no Mundo em questão de beleza e magia, ainda temos que nos defrontar com todas essas imbecilidades.

Atão compadri!...

sexta-feira, setembro 10, 2010

Piadas de Português

Estou a pensar em como o brasileiro tanto gosta de inventar e contar piadas sobre os portugueses E como tem portugueses que não gostam e apelam; e como tem outros, como eu que, ouve uma e replica com duas também sobre portugueses... Quanto mais o cara se chateia, mais eles contam. É assim com as alcunhas também.
Agora vejam: Entrou em validade a lei qe obriga crianças a viajarem num banquinho próprio adaptado ao banco trazeiro do carro. Aquela família viajava sem o banquinho, a polícia mandou parar e impediu que a criança continuasse a viajem naquele carro sem o banquinho; mas deixou que a mãe a levasse de taxi, este também sem o banquinho, enquanto o resto da família continuou indo no carro...

E tem aquela em que o cara recebeu uma multa por estar trafegando com o seu carro a 800 km/hora. O cara teve que pagar a multa e reclamar depois. Não sei se conseguiu safar-se dessa...

Podem ter a certeza que, nem mesmo para os brasileiros que vivem em Portugal eu conto piada de brasileiro quando lá vou. Questão de consciência. E olhem que tive e tenho mulher brasileira, bem como filhos também. Afinal, eles são uma piada, umas belezuras...

quarta-feira, setembro 08, 2010

Vinhos do Alentejo

Dezenas de produtores alentejanos vão colocar os vinhos em prova livre no Lx Factory, em Lisboa, nos próximos dias 24 e 25 de Setembro. O evento “Vinhos do Alentejo em Lisboa” organizado pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), com produção da Essência do Vinho, será uma oportunidade rara para os apreciadores poderem degustar grandes referências alentejanas e novos lançamentos.
“A Grande Lisboa é muito importante p...ara a venda de vinhos do Alentejo, pelo que decidimos prosseguir uma orientação promocional que já havíamos lançado, com a organização de eventos dedicados ao consumidor final, tal como no ano passado no Casino do Estoril. Este ano, apostamos num novo local e num evento com um figurino ainda mais atractivo para os consumidores das classes etárias mais jovens, dado que além da presença dos produtores alentejanos teremos provas temáticas e muita animação”, refere Dora Simões, Presidente da CVRA.
O evento “Vinhos do Alentejo em Lisboa”, que decorrerá na Sala das Colunas no Lx Factory, terá provas temáticas e conversas sobre vinho, comentadas por conceituados especialistas, e ainda no final de cada dia, um showcase exclusivo da banda revelação Virgem Suta, oriunda de Beja, que apresentará ao vivo algumas das músicas que fazem parte do aclamado álbum de estreia homónimo.
O evento “Vinhos do Alentejo em Lisboa” pode ser visitado dia 24, sexta-feira, 16h00 às 22h00, e dia 25, sábado, das 15h00 às 22h00.
Estarão presentes os seguintes Produtores:
.Adega Cartuxa - Fundação Eugénio de Almeida
.Adega Cooperativa de Redondo CRL
.Adega Cooperativa de Vidigueira
.Adega de Borba
.Adega do Monte Branco
.Adega Mayor - Grupo Nabeiro
.Aliança Vinhos de Portugal
.Aromas do Sul
.Arundel of Pavia
.Bacalhôa Vinhos de Portugal
.CARMIM / MONSARAZ VINHOS
.Casa de Santa Vitória / Monte Vilar
.Comenda Grande
.Cooperativa Agrícola de Granja, C.R.L.
.Cortes de Cima
.Dona Maria - Júlio Bastos
.Encostas de Estremoz
.Enoport - United Wines
.Ervideira
.Fita Preta Vinhos
.Fundação Abreu Callado
.Granadeiro - Vinho de Autor
.Henrique Uva / Herdade da Mingorra
.Herdade da Ajuda Nova
.Herdade da Calada
.Herdade da Farizoa - Companhia das Quintas
.Herdade das Servas
.Herdade do Esporão
.Herdade do Gamito
.Herdade do Rocim
.Herdade dos Grous
.Herdade dos Lagos
.Herdade dos Machados
.Herdade Grande
.Herdade Paço do Conde
.Herdade São Miguel
.J. Portugal Ramos Vinhos
.JJMR
.Lima Mayer & Companhia
.Michael Brian McDonagh Mollet
.Monte da Capela
.Monte da Raposinha
.Monte da Ravasqueira
.Monte Novo e Figueirinha
.Parras Vinhos
.Perescuma, S.A.
.PLC - Companhia de Vinhos do Alandroal
.Quinta Das Arcas
.Quinta do Mouro
.Quinta do Quetzal
.RG Rovisco Garcia
.Roquevale
.Sociedade Agrícola João Teodósio Matos Barbosa e Filhos, Lda
.Solar dos Lobos
.Terras de Alter
.Terrenus / Pedra Basta
.Tiagocabaçowines
.Torre do Frade
.Vinhos Monte da Penha