sexta-feira, dezembro 31, 2010

Janeiras

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Dez sugestões


Tomei a liberdade de passar para o meu blog esta matéria que foi publicada num outro blog do qual sou seguidor:  http://jardimdeurtigas.blogspot.com/  . Serve para Portugal e para o Brasil...


Sr. Dr. Mário Soares,

Sou um cidadão que trabalha, paga impostos, para que o Sr. e todos os restantes políticos de Portugal andem na boa vida.

Há dias, ouvi o Sr., doutamente, nas TV's, a avisar o povo português para que não se pusesse com greves, porque ainda ia ser pior. Ouvi o Sr. perguntar onde estava a alternativa ao aumento de impostos, aqui estou eu para lhe dar a alternativa. Aqui lhe deixo 10 medidas que me vieram à mente assim, de repente:

1.    Acabar com as pensões vitalícias e restantes mordomias de todos os ex-presidentes da República (os senhores foram PR's, receberam os seus salários pelo serviço prestado à Pátria, não têm de ter benesses por esse facto);


2.    Acabar com as pensões vitalícias e / ou pensões em vigor dos primeiros-ministros, ministros, deputados e outros quadros (os Srs deputados receberam o seu ordenado aquando da sua actividade como deputado, não têm nada que ter pensões vitalícias nem serem reformados ao fim de 12 anos ; quando muito recebem uma percentagem na reforma, mas aos 65 anos de idade como os restantes portugueses - veja-se o caso do Sr. António Seguro que na casa dos 40 anos de idade já tem direito a reforma da Assembleia da República);


3.    Reduzir o nº de deputados para 100;


4.    Reduzir o nº de ministérios e secretarias de estado, institutos, fundações e outras entidades criadas artificialmente, a maioria das quais desnecessárias e muitas vezes até redundantes, apenas para dar emprego aos "boys", como é o caso, por exemplo, do Instituto das Descobertas, que dá emprego a 32 chulos que não têm nada para "descobrir".


5.    Acabar com as mordomias na Assembleia da República e no Governo, e ao invés de andarem em carros de luxo, andarem em viaturas mais baratas, ou de transportes públicos, como nos países ricos do Norte da Europa (veja-se que no dia em que se anunciou o aumento dos impostos por falta de dinheiro, o Estado adquiriu viaturas na ordem dos 140 mil € cada para os VIP's que nos visitarão, como se não houvesse viaturas a requisitar aos Ministérios para tal);


6.    Acabar com os subsídios de reintegração social atribuídos aos vereadores, aos presidentes de Câmara, e outras entidades (multiplique-se o número de vereadores existentes pelo número de municípios e veja-se a enormidade e imoralidade que por aí grassa);


7.    Acabar com as reformas múltiplas, sendo que um cidadão só poderá ter uma única reforma (ao invés de duas e três, como muitos têm);


8.    Criar um tecto para as reformas, sendo que nenhuma poderá ser maior que o vencimento do PR;


9.    Acabar com o sigilo bancário;


10.  Criar um quadro da administração do Estado, de modo a que quando um governo mude, não mudem dezenas de milhares de lugares na administração do Estado, sendo que o critério para a escolha dos lugares passe a ser o mesmo que um ministro/político adopta na escolha de um médico para lhe tratar uma doença ou lhe fazer uma operação cirúrgica ( porque nesta situação eles não vão buscar os “boys” do partido, mas sim os mais competentes, pois é a “vidinha” deles que está em jogo e não o dinheiro do erário público ).


Com estas simples 10 medidas, a classe política que vai desgraçando o nosso amado Portugal, daria o exemplo e deixaria um sinal inequívoco de que afinal, vale a pena fazer sacrifícios e que o dinheiro dos portugueses não é esbanjado em Fundações duvidosas e em obras de fachada sumptuosas.

Enquanto isso não acontecer, eu não acredito no Sr. Mário Soares e não acredito em nenhum político desde o Bloco de Esquerda ao CDS, nem lhes reconheço autoridade moral para dizerem ao povo o que deve fazer, porque o tal povo de que os políticos muito falam, jamais fará o que quer que seja contra a sua consciência, mesmo se o Estado o apele. Se os políticos por conveniência se ajudam entre si para fazer passar este OE, ao povo cabe fazer derrubar e paralisar este governo nas ruas.

Zé do Povo

Portugal

sábado, dezembro 25, 2010

Compadres

     
A invasão e ocupação de Timor pela Indonésia foi, como todos sabemos, a maior das carnificinas de inocentes, num conluio com EEUU, Austrália e... Portugal. Sinto até nojo, algumas vezes de escrever sobre isto e agora sabe-se mais um pouco a respeito.

Telegramas diplomáticos divulgados pelo WikiLeaks confirmam que o governo australiano trabalhou com a Indonésia para gerir as consequências políticas quando, em 2007, um relatório atestou que o exército indonésio tinha mandado executar cinco jornalistas em Balibó, Timor-Leste.

Os telegramas diplomáticos da Embaixada dos Estados Unidos em Jacarta, agora tornados públicos pelo Wikileaks, também dão conta de que Camberra declarou Yunus Yosfiah --- o capitão das forças especiais indonésias durante a invasão de 1975 do Timor-Leste que terá ordenado a execução --- "pessoa non grata na Austrália", apesar de o executivo australiano "nunca ter apresentado qualquer ação formal contra Yosfiah pelos homicídios".

O correio diplomático revela que esta sanção --- que o impediria de entrar na Austrália --- foi aplicada discretamente a Yunus Yosfiah numa altura em que Camberra já trabalhava nos bastidores com Jacarta para ajudar o executivo indonésio a gerir as consequências do escândalo.
                 

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Feliz Natal

Partilho com todos, este pequeno texto sobre o Natal e a pintura que  J.P. Sartre gostaria de fazer, desejando que esta Quadra nos faça serenar e admirar as coisas simples!

A Virgem está pálida e olha para o menino.
O que seria necessário pintar neste rosto é um encantamento ansioso que não apareceu senão uma vez sobre uma figura humana.
Porque Cristo é o seu menino: a carne da sua carne, o fruto das suas entranhas.
Cresceu nela durante nove meses e dar-lhe-á o seu seio (...) e, por momentos, a tentação é tão forte que ela esquece que ele é Deus.
Aperta-o nos seus braços e diz: 'Meu pequenino.'

Mas noutros momentos ela suspende esse movimento e pensa: Deus está aqui. E fica possuída pelo horror religioso, por este Deus mudo, por esta criança terrificante. Todas as mães ficam assim suspensas, por um momento, diante deste fragmento rebelde da sua carne que é o seu filho, sentem-se em exílio diante desta vida nova que se faz a partir da sua e habitadas por pensamentos estranhos.
Nenhuma criança, porém, foi tão cruelmente e tão rapidamente arrancada à mãe: aquela criança é Deus e ultrapassa sempre tudo o que Maria possa imaginar.

Penso que também há momentos, rápidos e fugidios, nos quais ela sente, ao mesmo tempo, que Cristo é seu filho e que ele é Deus.
Ao olhar para ele, pensa: este Deus é meu menino. Esta carne divina é a minha carne.
Ele é feito de mim, tem os meus olhos e esta forma da sua boca é a forma da minha. Parece-se comigo. Ele é Deus e parece-se comigo.

Nenhuma mulher teve, desse modo, o seu Deus só para ela, um Deus pequenino que se pode tomar nos braços e cobri-lo de beijos, um Deus quentinho que sorri e que respira, um Deus que se pode tocar e que ri! É num destes momentos que eu pintaria Maria, se fosse pintor." 

Jean-Paul Sartre, filósofo ateu

FELIZ NATAL

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Frutas Tropicais - Lichía

Se eu escrever lixia, a tendência da pronúncia talvez fosse “ch”. Porém, essa tendência morre quando escrevemos lixívia e pronunciamos “ch” e não “licssívia”. Por todas essas e por outras e porque não sei como os chineses pronunciam (...), tomo por base o seu nome em latim, base do nosso português --- Litchi chinensis --- e escreverei Lichia, pronunciada chiada e não como os italianos “ ki”.

O termo “litchi” ou “Li-zhi” vem do dialeto chinês e originariamente significava a propriedade de “ser destacada do galho”. Com o tempo se descobriu que esse nome também se referia à propriedade de ocorrer uma rápida deterioração dos frutos após a colheita.

A lichieira é uma belíssima árvore ornamental, de grande porte, porque mantem a folhagem durante o ano inteiro e frutifica com belos cachos entre Novembro e Janeiro aqui no Brasil na região do Trópico de Capricórnio. Devido à grande extensão do país, ela frutifica noutras épocas, noutras regiões e assim tornou-se viável a cultura para comercialização.

É muito vista nas regiões tropicais dos Estados Unidos e em ilhas do Pacífico nos conglomerados urbanos. Conhecem-se variedades como Bengal, Americana, Brewster, Groff, Kaimana e Kwaimi. Os frutos produzem-se em cachos, a casca é rugosa e de cor vermelha e fácil de ser destacada.

A polpa é gelatinosa, translúcida sucosa e de excelente sabor, lembrando o da uva “Itália” e não é aderente ao caroço. Presta-se para consumo ao natural, para a fabricação de sucos, compostas e ainda para a passa.

As mudas oriundas de sementes não são indicadas para a formação de pomares comerciais, porque as plantas não são uniformes e demoram acima de 12 anos para iniciar a produção. Para a formação de pomares comerciais, as mudas devem ser de propagação vegetativa das plantas vigorosas e produtivas. O sistema mais utilizado é a alporquia (tecido da muda é de uma planta adulta de 9 anos), resultando em mudas de qualidade.

Não costumo dar aqui informações sobre fornecedores, mas esta é por conta da foto que estou usando de uma plantação de lichia em S. João da Boa Vista, no Estado de São Paulo: “Lichia Mudas Lixia”. possui nutrientes essenciais e micronutrientes tais como diversos minerais e as vitaminas hidrossolúveis, especialmente a vitamina C.

A lichia é da família das “sapindaceae”, termo proveniente do latim “Sapindus” e significa sabão da índia, pois “sapindus” provém de “sapo” = sabão e “indus” = índia, devido à presença de saponinas em seus frutos.

A lichia possui alto teor de açúcares, minerais como potássio, magnésio e fósforo, vitaminas como riboflavina (B2), niacina (B3) e tiamina (B1). Na gastronomia a lichia é utilizada fresca, enlatada, desidratada, processada em sucos, vinhos, liquores, picles, aguardentes, caipirinhas, compotas, gelatinas, iogurtes, sorvetes, tortas, bolos e uma série infindável de usos que dependem somente da criatividade. Existe uma receita de canapés de lichia com queijo gorgonzola que é uma iguaria dos Deuses.

sábado, dezembro 18, 2010

Presente de Natal Alentejano

- Estouuuu... é da GNR?

- É sim, em que posso ajudá-lo?

- Queria fazer quexa do mê vizinho Maneli. Ele esconde droga dentro dos troncos da madeira pra larera.

- Tomámos nota. Muito obrigado por nos ter avisado.

No dia seguinte os guardas da GNR estavam em casa do Manel. Procuraram o sítio onde ele guardava a lenha, e usando machados abriram ao meio todos os toros que lá havia, mas não encontraram droga nenhuma. Praguejaram e foram-se embora. Logo de seguida toca o telefone.

- Oh Maneli! já aí foram os tipos da GNR?

- Já.

- E racharam-te a lenha toda?

- Sim!

- Então feliz Natal, amigo! Esse foi o mê presente deste ano!

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Diferenças

Cabra de pobre e cabra de rico...

O Jogo

Ainda na noite de ontem, principalmente os aposentados, levaram uma porrada ao verem o resultado da votação na Camara dos Deputados ser contra a legalização dos Bingos. E logo de manhã levaram outra cacetada maior ao terem conhecimento do aumento de 60% dos salários desses mesmos deputados, dosputedos e outros que tais, quando são ínfimos os aumentos anuais das suas aposentadorias.
Demagogia e hipocrisia! Quase todos os aposentados gostam de se reunir nas mesas de bingos jogando nas cartelas. Dizer que isso é um malefício e não taxar com o mesmo adjectivo os jogos lotéricos diários da Caixa Económica Federal é o fim da picada.
Joga quem quer com o seu dinheiro e ninguém tem nada com isso. Lavagem de dinheiro sujo, que eles alegam seriam essas casas e jogo, é uma estupidez, pois há meios muito fáceis e eficientes de controle por parte do Governo. As lavagens de muito dinheiro sujo usado por muitos políticos é feita de muitas maneiras, com jogo ou sem jogo. Vamos acabar com essa palhaçada! Que se libere no Brasil todo o tipo de jogo, inclusivamente os Casinos, pois todos darão uma tremenda receita aos cofres governamentais, suficiente para a melhoria da saúde e educação.
É muito pior essas casas de jogo funcionarem clandestinamente. Fecha-se uma aqui e abre amanhã ou depois ali. Untam-se as mãos de certos elementos da autoridade e tudo vai correndo. Perde o Governo. Perdemos todos nós. Ainda hoje fui passar algumas horas num bingo clandestino. Além de jogar e, por sinal ganhar (...), jantei gratuitamente, bati papo com outras pessoas que já conhecia e conheci novas. E é assim que funciona. Amanhã ou depois vem o aviso que vão encerrar as actividades naquele local e que reabrirão num outro, pois receberam a informação que o "tempo está fechado".
Tenham vergonha na cara, senhores deputados, e tratem de trabalhar em prol da legalização do jogo. Nós não jogamos com os seus milhões e sim com os nossos troquinhos e ninguém tem nada com isso.

sábado, dezembro 11, 2010

Frutas Tropicais -- Manga e Acerola

Gonçalves Dias escreveu: "Já viste coisa mais bela/Do que uma bela mangueira,/E a doce fruta amarela,/Sorrindo entre as folhas dela,/E a leve copa altaneira?".
E eu hoje cheguei em casa por volta das 14 horas e complectamente enxarcado em suor, após 8 horas de trabalho duro na feira, mesmo que algumas cervejas tenha tomado entre uma escapada e outra e sem que a patrôa me aporrinhasse a paciência... Quando adentro o primeiro portão, a kombi esbarra nos galhos da aceroleira e eu mantenho-os grandes porque estão carregados de acerolas. Depois do segundo portão defronto-me com a mangueira coquinho também carregada.
Nesse cenário só me restou partir para de imediato fazer um suco (sumo) bem gelado com acerola e manga. E assim foi. Vejam as imagens ilustrativas.
Os portugueses trouxeram para o Brasil essa maravilhosa árvore frutífera, a mangueira, oriunda do sul da Ásia; possìvelmente também a levaram para as colónias da África. Existem muitas variedades de mangas --- Tommy Atkins, Haden, Keitt, Kent, Van Dyke, Surpresa, Bourbon, Espada Sthal, Rosa, Coitê, Manila e outras. Porém, eu aprecio sobremaneira a Coquinho.
A variedade Coquinho é uma das poliembriônicas mais antigas. É muito produtiva, utilizada para suco, tem aceitação no mercado como manga de mesa e é um dos melhores e mais utilizados porta-enxertos no Brasil, embora seja muito suscetível a um fungo causador da Seca-da-mangueira.
Encontra-se na manga um bom teor de carboidratos, betacaroteno, vitamina C, vitaminas do complexo B, ferro, fósforo, cálcio, potássio, magnésio e zinco. A vitamina A é o principal nutriente da manga e faz bem para os olhos e para a pele.
Também se faz um molho especial (chutney) de origem indiana para acompanhar carnes, agregando à manga a cebola, sal, pimenta, açúcar, vinagre, curry, gengibre, coentro, páprica e noz moscada.
Já que eu fiz um suco com as duas frutas misturadas, tenho que escrever algo, também, sobre a acerola...
A aceroleira é uma planta originária das Antilhas e cultivada em escala comercial em Porto Rico, Havaí, Jamaica e Brasil. A fruta é atrativa pelo seu sabor agradável e destaca-se por seu reconhecido valor nutricional, principalmente como fonte de vitamina C, vitamina A, ferro, cálcio e vitaminas do complexo B (Tiamina, Riboflavina e Niacina).
O benefício maior da acerola para a saúde é a sua grande quantidade de ácido ascórbico, isto é, vitamina C. Para se ter uma idéia, com a ingestão de apenas duas acerolas, uma pessoa tem todas suas necessidades diárias de vitamina C supridas. Consumida tanto in natura como industrializada, sob a forma de sucos, sorvetes, geléias, xaropes, licores, doces em caldas entre outras.

terça-feira, dezembro 07, 2010

Café de Timor




O primeiro café “made in” Timor Leste foi lançado no mercado australiano.

Disponível através da Tradewinds, o produto é fornecido pela Co-operativa
Café de Timor, contando nas suas fileiras mais de 20 mil trabalhadores
timorenses.

Enquanto no passado o café era exportado como feijão verde, agora todo o
processo da Tradewinds Fairtrade de Timor Leste é feito em Díli, gerando aos
timorenses mais empregabilidade, bem como o aumento de receitas. A
Tradewinds financiou a compra de equipamentos necessários para o
processamento do café.

"Quando se bebe um café proveniente da Tradewinds Timor-Leste, não só vai
apreciar um produto de qualidade mas também ajudar esta nova nação na
construção do seu próprio futuro", disse o Dr. David Lloyd, director de
Tradewinds, e também professor na Universidade Southern Cross.

"Isto faz parte da nossa estratégia de lhes ajudar e não de nos
aproveitarmos dos recursos deles. É também uma forma de as pessoas
desenvolverem os seus conhecimentos e ao mesmo tempo um orgulho para as suas
próprias comunidades."

Desde há três anos, Dr. Lloyd, juntamente com o outro director da
Tradewinds, o professor Brett Inder da Universidade de Monash, está
envolvido num estudo financiado pela AusAID, para determinar os impactos
sociais e económicos da produção de café em Timor-Leste.


Fonte: Hospitality Magazine

Salas alentejanas




segunda-feira, dezembro 06, 2010

Teorias de conspiração?

Portugal, minha saudade


Velhos Amigos

Fui ontem a  Beja.

Encontrei o Manel Jaquim , amigalhaço de há muitos anos e que vive perto de Beja.

Eis o diálogo, que transcrevo com bastante rigor:

-Então Manel Jaquim, onde tens andado?

-Ó amigo Zé, olha, por aí.... andei à tua procura para te dizer que casei... Casei à moda antiga, vê bem...

-À moda antiga? Então foste naquelas carroças que havia antigamente, levaste um banho de arroz...

-Qual quê, Zé, casei à moda antiga, porra, CASEI COM UMA MULHER !!!!!