segunda-feira, fevereiro 27, 2017

Alegria alentejana

domingo, fevereiro 26, 2017

Canção do Mar

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Esperança



Esta é a minha nova companheira e o seu nome é Esperança. Decorridos três dias de contacto posso garantir-vos que sinto nela algo de maravilhoso neste relacionamento muito sério. Não pintou uma química, mas sim uma onda. Foi muito difícil e morosa esta conquista e tive, até, que apelar aos “Deuses” de plantão que operassem uma espécie de milagre, o que realmente aconteceu.
Há mais de um ano submeti-me aos primeiros exames com o Urologista e no seguimento, com o Infectologista, foi-me diagnosticado um câncer de próstata em pequeno estado inicial. Independentemente da superficialidade do problema, o choque foi muito grande e senti o mundo desabar. Não pensei naquela imbecilidade da costumeira exclamação “porquê isso teria que acontecer comigo!?”, pois acho que acontece com qualquer um, na vertente de que todos somos iguais.
Simplesmente passei toda a minha vida numa espécie de filme mental e debrucei-me nalgumas maldades que cometi, interpretando o acontecimento como um castigo. Mas, como a força de viver é superior a tudo isso, optei por um desvio dos meus pensamentos. Accionei a agulha dos trilhos e a locomotiva tomou outra direção.
Há já uns bons anos passados, contraí uma dívida moral com os meus filhos mais velhos e que vivem do outro lado do Oceano. Pretendo amortizá-la, pois que saldá-la é impossível. Necessito conviver um pouco mais com os meus netos portugueses, para que eles fiquem com uma melhor lembrança do avô. Para isso preciso de mais uns anos de vida.
Os netos brasileiros têm tido o meu carinho na constante convivência. Porém, o mais novinho está muito apegado comigo e eu com ele. Gostaria muito de vê-lo crescer e alcançar muito do que eu sonho que ele venha a conseguir. Para isso, também, preciso daqueles mais anos de vida. Resumindo, amo a vida!
Por último, quero dizer-vos que penso, como sempre pensei, que existem duas coisas que deveriam ser somente administradas pelo Estado e gratuitas --- a Educação e a Saúde. Estes dois pilares do socialismo têm que ser absorvidos por governos que se querem republicanos e democráticos. Povo culto é mais saudável e apto para o trabalho e desenvolvimento do País. Quando tal for uma realidade, ninguém mais esperará um ano, ou até mais tempo, para iniciar um tratamento de doença gravíssima, como foi o meu caso. Todos devemos encampar essa luta.

segunda-feira, fevereiro 06, 2017

Regimento de Cavalaria 3

RC 3 volta a ser prioridade do Exército

Até final de Fevereiro, a unidade mais antiga do Exército em atividade deverá receber perto de centena e meia de homens e mulheres, militares de Portugal que irão compor as fileiras de um esquadrão de reconhecimento, denominado de ‘Nato Response Force’ (NRF18), que irá integrar uma força militar multinacional da NATO. O RC 3 estará, assim, encarregado do aprontamento deste esquadrão que deverá estar preparado para, num prazo de entre 5 a 7 dias, intervir em todo o tipo de cenários
de crise que possam ocorrer em qualquer zona da Europa.
Tendo como missão a recolha de informações no Teatro de Operações (TO), seja ao nível do terreno, seja ao do adversário, o aprontamento desta centena e meia de militares irá fazer-se em três fases e períodos distintos: ano 2017 – fase ‘Stand Up’, criação da força; ano 2018 – fase ‘Stand By’, preparação;
2019 – fase ‘Stand Down’, desmantelamento do esquadrão.
De acordo com o comandante do RC 3, coronel Nuno Duarte, este reforço de recursos humanos – que irá
também coincidir com o aumento de meios, dando-se, por exemplo, o regresso à unidade das viaturas M11 que estavam no Teatro de Operações do Kosovo – irá, não só concorrer para a implementação de uma nova dinâmica na unidade mais antiga do Exército em actividade, como também na cidade anfitriã. “Haverá mais gente na cidade a frequentar as várias áreas de lazer. Mais gente vai conhecer Estremoz, mais gente vai trazer familiares.”, sublinhou o comandante ao Brados do Alentejo.
Ao nosso jornal o coronel Nuno Duarte referiu que o aprontamento de um esquadrão multinacional é também sinónimo de responsabilidade acrescida para a unidade que dirige, uma vez que irá estar responsável por representar Portugal junto dos seus pares de outros países.
“A componente operacional do RC 3 poderá ainda servir de atractivo para os quadros do Exército – oficiais e sargentos – que poderão colocar a cidade de Estremoz no topo das suas preferências”, concluiu o comandante.


In Brados do Alentejo

Incrível!


Segurança