quinta-feira, maio 29, 2008

ÍNDIOS ISOLADOS

Índios isolados que habitam região amazónica na fronteira do Brasil com o Perú. Fotos recentemente divulgadas e com o intuito de forçar a manutenção da total preservação.
Na primeira imagem dois deles estão pintados com urucum e outro com jenipapo. Tanto na primeira como na segunda, o grupo tenta atingir, com as flechas, o avião que os sobrevoava e fotografava.
Na terceira imagem distingue-se com maior nitidez o diferente tipo de construção das palhoças em relação às que conhecemos e às quais nos habituámos. Algumas destras tribos estão-se refugiando no Brasil por causa dos perigos que correm no Perú. Eles não imaginam o que os espera...

terça-feira, maio 27, 2008

INDEPENDÊNCIA DE TIMOR

INJUSTAMENTE ESQUECIDA, a independência de Timor é fruto do sacrifício de muitos timorenses, de todos os quadrantes políticos. Pelo menos, é o que os políticos dizem quando pretendem propagandear ao Mundo a unidade conseguida pelos timorenses durante mais de uma vintena de anos na luta travada com os indonésios.
Antes ainda da entrada dos invasores indonésios, Timor encontrava-se a ferro e fogo, numa luta fratricida que dizimou muitos milhares de timorenses cujo único crime consistiu na liberdade de pensamento que defendiam ser um direito humano inalienável. Não o pensaram assim os fautores da independência unilateral de 28 de Novembro de 1975. Milhares de timorenses - por haverem cometido o crime de querer um Timor independente diferente do que o que pretendiam a FRETILIN e o Poder português saído da Revolução de Vinte e Cinco de Abril de 1974 – foram barbaramente assassinados por outros timorenses acobertados pelo revolucionarismo de cariz esquerdista.
Pensava eu que passados mais de trinta anos sobre o ano nefasto de 1975, os líderes timorenses que hoje ocupam cargos políticos – após anos do que eu imaginava ser de profunda interiorização da fundamental unidade nacional feita à custa de sangue, suor e lágrimas de todo o povo, ao qual pertencem os militantes de outros partidos timorenses para além da FRETILIN - tivessem(finalmente!) concluído que a independência de Timor se deve a todos os timorenses e não só a determinado partido e a algumas personalidades políticas desse partido. Julgava eu, animado do fervor patriótico que a todos os timorenses anima em dias de comemoração da independência a 20 de Maio– data a que pomposamente se denomina de restauração da independência -, que a liderança timorense teria coragem suficiente para incluir, nos seus discursos oficiais, na imposição de medalhas, de condecorações, da saudação aos mártires da Pátria, os mártires de outros partidos que pereceram às mãos da FRETILIN, antes ainda da invasão oficial pela Indonésia. Acredito também que os sobreviventes das masmorras de Aileu se lembram do sofrimento e dos terrores infligidos pelos revolucionários. Mas, se alguns prisioneiros se salvaram (alguns deles devido ao gesto de clemência de uns muito poucos revolucionários condoídos da sua má sorte) igual sorte não coube a tantos outros que jazem em valas que guardam milhares de restos mortais de militantes da UDT, da APODETI e do KOTA, quantos deles enterrados vivos!?
Tem sido vã a esperança de que os líderes timorenses se imbuiam da generosidade de reconhecer que, para além dos mortos às mãos da Indonésia, timorenses houve – e foram milhares! – que sucumbiram às mãos dos revolucionários da FRETILIN. E assim é que, ano após ano, em cada 20 de Maio da comemoração daindependência, se prestam loas, se curvam, se referem os nomes de militantes da FRETILIN e se esquece de que timorenses houve que mataram outros timorenses cujo único crime foi pensar um Timor livre mas diferente.
E é por isso também que, ano após ano, vou perdendo a crença de que aunidade nacional é real, é interiorizada, é sentida. Assim será enquanto permanecerem propositadamente esquecidos nomes dos que foram barbaramente assassinados pela FRETILIN, numa tentativa da liderança de falsear a História branqueando aqueles que ordenaram as execuções.
Mas, se a liderança timorense, se os detentores do Poder político de hoje continuam a ignorar o nosso contributo para a independência de Timor, se todos teimam em esquecer os nossos mortos, gritemos a nossa revolta ao Mundo– apesar do esquecimento do Senhor Presidente da República, Ramos Horta, num gesto consequente de gesto igualmente revelador da vontade do seu antecessor Xanana Gusmão de esquecer que há outros heróis em Timor - dizendo que a FRETILIN assassinou Vasco Senanes, Fernando Luz, Agapito Mariz, Coronel Lourenço, Casimiro, Maggiolo Gouveia, António Araújo Nélio Oliveira, César Mouzinho, José Oliveira, Luís Oliveira, Serafim dos Santos, Guilherme Exposto dos Santos, Adão Exposto, Águedo Inácio, Rogério Inácio. Não quero esquecer também os irmãos Maia, os jovens Jerónimo (16 anos) e Rui (14 anos), que foram ambos mortos em Same!
Muitos outros nomes ficaram por ser aqui referidos mas, para ilustrar, a barbárie de 1975, estes exemplos são bastantes! Se restarem dúvidas sobre a verdade histórica, há sobreviventes que vivem em Timor, em Portugal e na Austrália que ainda não conseguiram esquecer os maus tratos, poderão prestar esclarecimentos e apontar os nomes e as caras dos seus algozes!
Assisti à condecoração de Mari Alkatiri e de Ramos Horta e pensei que tambémos líderes da UDT que lutaram por Timor seriam condecorados. Mas não. Deles não consta a lista de heróis do então Presidente Xanana Gusmão. Nem sequer do actual Presidente. Considero de elementar justiça atribuir a condecoração pelos trabalhos prestados durante os anos da Resistência na diáspora a João Carrascalão, Domingos Oliveira, António Nascimento, Lúcio Encarnação, entre tantos outros. Ou que, Manuel Carrascalão, activista e fundador do Movimento para a Unidade e Reconciliação do Povo de Timor-Leste (MURPTL) defensor acérrimo do Referendo em Timor, fosse reconhecido como personalidade histórica e por isso o condecorassem. Mas, ano após ano, as condecorações, os cumprimentos e as homenagens limitam-se a personalidades da área da FRETILIN, contribuindo para o descrédito da vontade de construir uma Nação onde todos os timorenses tenham lugar e vejam reconhecidos os seus méritos, o seu trabalho, o seu esforço.
Não compreendo como nunca se nomeia Francisco Gonçalves, com o nome de guerra Mali Iku – operador de transmissão, o único que, na Ponta Leste, decifrava os códigos políticos do comissário político Juvenal Inácio, SeráKei; ou Rui Gonçalves, que tinha o nome de guerra de Ximangano Mac Mahon e foi um prisioneiro político de Aileu que, depois da invasão, pelas suas qualidades de liderança, ascendeu a comandante da guerrilha e Delegado Político. Se o Senhor Presidente da República actual, se o Presidente da República anterior os esqueceram, tal como os esqueceram os deputados ao Parlamento Nacional, nós não os esquecerenos! Se outros esquecem, cabe-nos a nós, militantes da UDT, lutar - sempre! -, para que o Mundo não esqueça que outros heróis existem para além dos que anualmente são propagandeados pelos actuais líderes timorenses e pela própria FRETILIN.
Se a esperança deve prevalecer, então direi que continuo à espera que Timor seja um dia a Pátria que entre os seus braços vai acolher todos os seus filhos independentemente da sua raça, credo ou convicção política! E que então ninguém mais se sentirá injustiçado, marginalizado, ignorado, numa desnecessária demonstração de desprezo.
Hélder Encarnação

TGV - PORTUGAL

PORTUGUESES, LEIAM AS LINHAS SEGUINTES E PENSEM A QUEM VAI SERVIR O TGV ...
AOS FABRICANTES DE MATERIAL FERROVIÁRIO, ÀS CONSTRUTORAS DE OBRAS PÚBLICAS E ... CLARO, AOS BANCOS QUE VÃO FINANCIAR A OBRA ...
OS PORTUGUESES FICARÃO - UMA VEZ MAIS - ENDIVIDADOS DURANTE DÉCADAS POR CAUSA DESTA OBRA MEGALÓMANA ! ! !
Experimente ir de Copenhaga a Estocolmo de comboio. Comprado o bilhete, dá consigo num comboio que só se diferencia dos nossos Alfa por ser menos luxuoso e dotado de menos serviços de apoio aos passageiros. A viagem, através de florestas geladas e planícies brancas a perder de vista, demorou cerca de cinco horas. Não fora conhecer a realidade económica e social desses países, daria comigo a pensar que os nórdicos, emblemas únicos dos superavites orçamentais seriam mesmo uns tontos. Se não os conhecesse bem perguntaria onde gastam eles os abundantes recursos resultantes da substantiva criação de riqueza. A resposta está na excelência das suas escolas, na qualidade do seu Ensino Superior, nos seus museus e escolas de arte, nas creches e jardins-de-infância em cada esquina, nas políticas pró-activas de apoio à terceira idade.
Percebe-se bem porque não construíram estádios de futebol desnecessários, porque não constroem aeroportos em cima de pântanos, nem optam por ter comboios supersónicos que só agradam a meia dúzia de multinacionais. O TGV é um transporte adaptado a países de dimensão continental, extensos, onde o comboio rápido é, numa perspectiva de tempo de viagem/custo por passageiro, competitivo com o transporte aéreo. É por isso, para além da já referida pressão de certos grupos que fornecem essas tecnologias, que só existe TGV em França ou Espanha (com pequenas extensões a países vizinhos). É por razões de sensatez que não o encontramos na Noruega, na Suécia, na Holanda e em muitos outros países ricos.
Tirar 20 ou 30 minutos ao Lisboa-Porto à custa de um investimento de cerca de 7,5 mil milhões de euros não trará qualquer benefício à economia do País. Para além de que, dado ser um projecto praticamente não financiado pela União Europeia, ser um presente envenenado para várias gerações de portugueses que, com mais ou menos engenharia financeira, o vão ter de pagar.
Com 7,5 mil milhões de euros podem construir-se: mil escolas Básicas e Secundárias de primeiríssimo mundo que substituam as mais de cinco mil obsoletas e subdimensionadas existentes (a 2,5 milhões de euros cada uma), mais mil creches inexistentes (a 1 milhão de euros cada uma), mais mil centros de dia para os nossos idosos (a 1 milhão de euros cada um). Ainda sobrariam cerca de 3,5 mil milhões de euros para aplicar em muitas outras carências, como a urgente reabilitação de toda a degradada rede viária secundária.
Cabe ao Governo reflectir.
Cabe à Oposição contrapor.
Cabe aos que lerem esta matéria divulgá-la por algum meio.

21POLÍCIA

INFORMAÇÃO ÚTIL
Se precisarem de chamar a PSP e não sabem o nº de telefone da esquadra da área que pretendem, basta ligar o 21POLICIA. As letras correspondem às teclas dos números do teclado do telemóvel/telefone ou seja 217654242.
Este nº pertence ao Comando Metropolitano de Lisboa - PSP que lhe dará a informação do número da esquadra que se quer contactar. Também pode ser utilizado para Pedir a intervenção da Brigada de Trânsito.

NOVO SÍMBOLO

Novo símbolo para gasolineiras (postos de gasolina) a adoptar em Portugal e Brasil

domingo, maio 25, 2008

FUTEBOL NA TV

É por demais sabido que qualquer área que seja movimentada por grandes interesses do capital, é uma verdadeira casa de marimbondos. Temos a percepção de que a simples aproximação já é perigosa e tentar meter a mão lá dentro nem pensar seria coerente... E quando as coisas assim são, o povo passa ao largo.
É uma situação verdadeiramente esdrúxula, no país do futebol, os amantes da arte não terem uma opção de escolha quando das transmissões dos jogos pela televisão, a não ser que paguem para assistir aos jogos pelos canais fechados, o que não fica ao alcance da maioria.
No Brasil a transmissão dos jogos é monopólio de uma única estação emissora e esta só exibe os jogos em que participa um dos times de São Paulo e que este ano, por sinal, está na segunda divisão. Como é o segundo clube em grandeza no país, em relação à massa de adeptos, supõe-se que o critério da escolha seja esse. Assim, uma final disputada entre o campeão sul americano e o europeu, como foi a última, não é transmitida porque o clube preferido não era o participante.
Em lugar desse evento de interesse para os amantes do futebol em todo o país, independentemente das côres que defendam, a emissora coloca no ar uma das "indispensáveis" novelas...
Agora estão-se desenvolvendo os trabalhos para a renovação dos contratos de transmissão ou a feitura de novos. Nota-se alguma gritaria por parte das agências de publicidade que vêem nas transmissões dos jogos um filão muito mais substancial que as já cansativas novelas. Há, também, a discordância de alguns clubes em relação ao modelo actual. Não acredito que as coisas mudem e tudo ficará como dantes.
Acredito que só o "povão" poderia mudar esse estado de coisas se, finalmente, começasse a gritar e a espernear. Porém, este é um povo dócil e tranquilo e, como sempre, não mete a mão em qualquer tipo de cumbuca mesmo que isso viesse a creditar-lhe devidendos, pois uma picada na mão, mesmo que uma só, pode ocasionar um grande inchaço que, mesmo que passageiro é sempre desagradável...

quinta-feira, maio 22, 2008

AMAZÓNIA SECRETA

Há algum tempo eu tento descrever aqui o actualíssimo problema da demarcação das reservas de índios brasileiros, principalmente no Estado de Roraima, e dar a minha opinião a respeito. Contudo, dada a complexidade envolvente e porque diàriamente novos lances surgem, adiei essa minha disponibilidade. Não obstante, transcrevo aqui um pequeno resumo específico.
Vítimas da sêca:
-total ................................................................................ 10 milhões
- sugeitos à fome? ....................................................................... sim
- passam sêde? ............................................................................ sim
- subnutridos? .............................................................................. sim
- ONGs estrangeiras ajudando ....................................... nenhuma
Índios da amazónia:
- total ..................................................................................... 230 mil
- sujeitos à fome? ......................................................................... não
- passam sêde? ............................................................................. não
-subnutridos? ............................................................................... não
-ONGs estrangeiras ajudando ................................................... 350
A explicação para este absurdo:

A Amazônia tem ouro, nióbio, petróleo, as maiores jazidas de manganês e ferro do mundo, diamantes, esmeraldas, rubis, cobre, zinco, prata, a maior biodiversidade do planeta (o que pode gerar grandes lucros aos laboratórios estrangeiros) e outras inúmeras riquezas que somam 14 trilhões de dólares. O nordeste não tem tanta riqueza e por isso não há ONGs estrangeiras lá ajudando os famintos. Enquanto isso, uma ONG estrangeira (principalmente dos EUA) está gastando milhões de dólares para salvar o mico leão dourado.
Tente entender:

Há mais ONGs estrangeiras indigenistas e ambientalistas na Amazônia brasileira do que em todo o continente africano, que sofre com a fome, a sede, as guerras civis, as epidemias de AIDS e Ebola, os massacres e as minas terrestres.
Agora uma pergunta:

Você não acha isso, no mínimo, muito suspeito? A União Européia investe milhões de dólares na demarcação de reservas indígenas no Brasil. Por quê? Quando há tantos problemas de maior gravidade: terremotos em El Salvador e na Índia, a catástrofe em que vive a África, a seca no nordeste, a epidemia de AIDS, etc.. E eles gastam milhões para demarcar reservas indígenas que já são exageradamente grandes. Por quê?

APITO AZULADO

Pinto da Costa chega a casa e grita para a Carolina:

- Querida. Prepara-te que vais levar 4 quecas.
- Amor... (responde a Carolina)... Tomaste 4 Viagras?
- Não!... Trago 4 árbitros...

ALENTEJANICES

Um Alentejano vem à capital para um exame periódico de saúde.
- Você bebe? - - Dois ou três copos de vinho às refeições e um uisquinho à Noite...
- Fuma ? - - Dois charutos por dia.
- E ... quanto a sexo ?
- Duas ou três vezes por mês.
- Sóóóóóó !?!?!? Com a sua idade e a sua saúde ? Mais velho sou eu e chega a ser duas a três vezes por semana.
- Poisssss ... só que vossemecê é médico em Lisboa e eu sou padre em Aljustrel ...

terça-feira, maio 20, 2008

TÁXI PARA CACHACEIROS

SONHOS FRUSTRADOS

Pobre Povo moçambicano: Afonso Dhlakama, Joaquim Chissano, André Matsangaíssa, Samora Machel e outros tantos, também vivos ou mortos, jamais vos abriram as portas do paraíso prometido. E jamais essas portas serão abertas porque esse paraíso nunca existiu e só vocês desconheciam essa realidade.
Não poderei afirmar que vocês "eram felizes e não sabiam", tomando por empréstimo este apostrofado que muito é proferido por estas bandas onde me encontro, pois pertenço à geração que vos poderia indicar um caminho melhor e por ele vos conduzir e não o fiz. Apesar dos meus ideais convergirem nesse sentido, sózinho pouco podia fazer. Outros camaradas meus, finalmente, deram um basta em toda uma mentira acalentada por muito tempo, mas os que mais mandavam foram apressados e conturbaram tudo.
Mas que tudo era muito melhor nos velhos tempos, apesar dos pesares, é uma realidade. Nós, povo português, também "entrámos numa fria". Os nossos e os vossos líderes agiram de má fé e, por essas e outras, nós continuamos a ser um povo emigrante em busca de uma vida melhor e digna, do mesmo modo que vocês passaram a ser nos últimos tempos.
Infelizmente a África do Sul também não é o paraíso sonhado e muitos dos vossos patrícios estão sentindo isso na pele e na carne. Sou solidário no sofrimento de todos vós que considero como irmãos e tenho esperanças que entre a gente mais séria apareça alguém que vos conduza por novos e seguros caminhos.
Quem sabe se um dia poderei voltar àquela que já foi a mais linda cidade da África e admirá-la como antigamente. O nome dela não importa; pode ser Lourenço Marques, Maputo ou outro qualquer. Porém, que seja uma cidade feliz comandando as demais, estas felizes também, em real progresso com trabalho para todos e convivência multi-racial.

CPMF

Extinguiu-se esse imposto que tinha sido criado para financiar a Saúde. Agora, pelos vistos, vem aí uma nova versão. Afinal, para quê tanto dinheiro para uma área que é um verdadeiro luxo?...

ONTEM E HOJE

Antigamente dizia-se assim:

O António há-de morrer! A Oliveira há-de secar! O Sal há-de derreter! E o azar há-de acabar!
Actualmente é caso para dizer:
O António já morreu! A Oliveira já secou! O Sal já derreteu! Mas a merda do azar não acabou!

LOIRÍSSIMAS

sexta-feira, maio 16, 2008

ISABELLA --- Ponto final

No pretérito dia 7 de abril publiquei aqui uma crónica subordinada ao título "Não somos todos iguais". Não publiquei mais nada a respeito do assunto e nem mesmo sobre o caso em si, pois que tudo o que se relaciona com Isabella transformou-se numa verdadeira novela, não mais que uma caça à audiência, principalmente por parte das TVs.
Não obstante, apreciei dois artigos que me parecem resumir e esclarecer tudo e, por isso, tomo a liberdade de os transcrever, ao mesmo tempo que isso será um ponto final na questão.
ISABELLA: O ESTORVO

Morreu Isabella. Isabella... não morreu pelo descaso do governo. Se acalmem os profissionais fundadores de ONGs e as aves de rapina que vêm em cada caso de destaque na mídia, a melhor maneira de enriquecer às custas da dor dos outros. Então, por quem os sinos dobram? Por uma série de fatores que Freud talvez explicasse mais facilmente do que a polícia. Vejamos... Isabella Oliveira Nardoni, 5 anos (vítima) Alexandre Nardoni, 29 (pai) Ana Carolina de Oliveira, 24 (mãe) Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24 (madrasta) Pietro, 3 anos e Cauã, 10 meses, filhos do pai e da madrasta de Isabella A mãe de Isabella tinha 19 anos quando ela nasceu. O pai, 24. Quando Isabella tinha dois anos, nascia o primeiro irmao, filho do pai dela com a madrasta. Num relance, parece aquela história da gravidez para segurar o homem que era da outra. Parece? É!!! E o homem da história, alimenta o triângulo amoroso - padrão entre boa parte dos brasileiros - no esquema 'dou conta do recado, sou macho'. No início faz bem ao ego, mas qualquer animal resolve o problema na horizontal, portanto, o que se espera é postura e atitude no 'day after'. Assim, o garanhão acaba refém de um mulherio que briga entre si, e que tem solidificado o novo perfil da brasileira: 'não tem pudores, não tem limites. Por causa de homem, faz qualquer negócio, desde que ganhe o jogo'. Alexandre, sem maturidade, sem personalidade forte e voz ativa, entrou numa canoa furada. Como diria o inglês Sting quando interpretou um vilão no filme 'Duna': 'o ser humano é bom e ruim, tem dentro de si todas as facetas. Cabe a cada um escolher qual caminho seguir ou por qual deve se deixar levar'. Isabella, menina carente, com carinha de cachorro pidão: 'me carrega no colo, me dá carinho, me ama'. São as criancas 'bola de tênis': ora jogadas para cá, ora jogadas para lá. Ninguém quer no seu campo por muito tempo. A alegria da mãe Não venham me dizer que a outra Ana Carolina , a mãe, conseguiu ficar assim , digamos, tão 'zen', pregando felicidade e alegria ao mundo, após perder a filha de forma trágica. Qualquer mãe paulista, carioca, ou que vive nos grandes centros urbanos (principalmente) sabem do que estou falando: quando o filho atrasa cinco minutos, parece que o mundo acabou. As feições se fecham, o corpo enrijece, o coração dispara, a boca amarga. E os avós? O que era aquela tranqüilidade? Estado de choque? No dia de seu aniversário de 24 anos, a mãe de Isabella recebeu a visita de Yves Ota, cujo filho foi sequestrado e assassinado em São Paulo há alguns anos. Ota a convidou para iniciarem uma campanha contra a violência nos estádios de futebol. Isto ficou em segundo plano. Ota ficou tão impressionado com o alto astral da mãe de Isabella que não falava em outra coisa. Isabella, isabella, tanta meiguice, tanta carência. Envolvida num jogo onde a mãe quer folga da filha, especialmente nos finais de semana para sair com o namorado. E a mãe dá o passe para o 'ex', que por sua vez, já tem uma nova família , sem lugar para a filha da ex. E a filha da ex é aquela que será sempre a bola da vez. Assim, um pai sob pressão, uma mãe com outros interesses, uma madrasta de índole duvidosa e match point ! Dou a mão à palmatória se estivermos diante do roteiro de 'O Fugitivo'. No caso Isabella, se correr o bicho pega e se ficar o bicho come: o mordomo é o culpado. Na falta dele, procurem a maçã envenenada. E quem envenenou a maçã? Nunca foi tão atual a história da Branca de Neve. Isabella não foi, não é e não será a última. Infelizmente. Moral da história: Deu João Bosco na cabeça: 'tá lá o corpo estendido no chão'. EM TEMPO: Com um texto imbecilóide, Xuxa também se manifestou no caso Isabella. A rainha dos baixinhos defende o fim do castigo infantil, assim como ocorreu com a escravidão e a violência contra as mulheres. Será que ela não leu sobre os trabalhadores escravos no Pará? Não sabe que o Brasil é um dos recordistas em violência contra a mulher e também campeão na impunidade dos autores? A mãe da Sascha vive mesmo no Planeta Xuxa... EM TEMPO 2: O buraco é mais embaixo. Eu quero saber o que já foi feito ou será feito para que adolescentes criados pelo crime organizado não assaltem e arrastem crianças pelas ruas embalados pela droga e a violência 'fashion'... Eu quero saber das crianças que trabalham de sol a sol, quebrando pedra em regime de semi-escravidão nas fazendas do Centro-Oeste ou que são 'domesticadas' por empresárias e pessoas inescrupulosas, bem ali na cara da lei, ou, muitas vezes, sendo elas 'a lei'. Isabella, descanse em paz. Você foi uma vítima do despreparo dos seus familiares, de uma sociedade que trata da vida como troca de roupa, de acordo com o cabelo da Susana Vieira, da nova peruca da Thaís Araújo ou da nova foto da bunda da mulher-melancia. Desculpe, mas há muitas, muitas crianças precisando de você como anjo por aqui. Que tal você ajudar aquela inglesinha, a Madeleine? Afinal, ela tem pais, que, apesar das intrigas que o alto escalão de pedófilos plantou na imprensa e tentou incutir na opinião pública, a amam e a querem acima de qualquer suspeita. Isabella, proteja Maddie e tantas crianças anônimas, que, como ela, sofrem o abuso e o descaso dos adultos.
__________________________________________
_____________________________________________________
E naquela outra história....
A madrasta agrediu e esganou. O pai, ao invés de defender, de tentar reanimar, madrastamente atirou pela janela e assassinou. O avô encobriu a 'besteira', apagou pistas. A Justiça madrastamente liberou os criminosos desrespeitando as evidências e o trabalho exemplar da polícia e do Ministério Público. A mãe, não chorou. Sorriu. Já vi muita gente rir de nervoso, ficar passada por medicação, entrar em estado de choque, numa situação trágica... Mas o batom estava impecável. Os óculos escuros, o cabelo lavado, arrumado. Que mãe é esta que não perguntou porque a filha era mordida e aparecia com marcas roxas sempre que voltava da casa dos 'inocentes'? Mas, caiu a ficha. E a Ana, mãe, chorou. Sim, ela se emocionou ao conhecer a Xuxa pessoalmente. E tiete, não segurou as lágrimas. E por Isabella? Moral da história: nas fábulas infantis, as princesas passam o pão que o diabo amassou, mas a maldade não ultrapassa a cota de uma madrasta por princesa. Depois dizem que a vida imita a arte. Não é verdade. Ou se é, o caso Isabella reafirma que toda regra tem mesmo exceção: 'mãe-madrasta; tia-madrasta; pai-madrasta; madrasta-madrasta; imprensa-madrasta...' Só espero que a Justiça não seja também madrasta".
Junia Turra

NA FALTA DE TU...

O Porto já não tem dinheiro para pagar às prostitutas para subornar os árbitros. . .
Então, há que recorrer aos próprios jogadores...

A LOIRA E O CROCODILO

Apresenta-se no palco um homem com um crocodilo.
Depois de agradecer os aplausos, o homem pega num pau, dá uma cacetada na cabeça do crocodilo e este abre a boca. O homem desaperta a braguilha, ajoelha-se e coloca o pénis na boca do crocodilo. Começam a rufar os tambores e o público faz silêncio total. O homem pega novamente no pau e dá segunda cacetada na cabeça docrocodilo. Este começa a fechar a boca lentamente.
- Uaaahhh!!! - Ouve-se a assistência. O crocodilo quando está quase a fechar a boca totalmente, pára! Na assistência o silêncio é geral. Apenas se ouve o rufar dos tambores.
O homem dá uma terceira cacetada na cabeça do crocodilo e este abre totalmente a boca. O público explode em aplausos e a orquestra começa a tocar. O homem põe-se de pé, aperta a braguilha e num tom desafiador perguntaà assistência:
- Alguém é capaz de fazer isto?
Responde uma loira no meio da assistência:
- Eu faço! Só não gosto que me batam na cabeça.

APITO DOURADO

NEGRO E PRETO

Desta vez abordo um assunto que é uma verdadeira areia movediça. E assim, porque os homens fazem leis de certo modo "estrambólicas" que acabam por se transformar em verdadeiras armadilhas para os mais incautos, mesmo que não maldosos ou não preconceituosos.
Esta semana foi publicada nos jornais do Brasil o resultado de uma pesquisa do IBGE que abordava os tipos e localização das diversas raças no país. Preta, parda, amarela, indígena e branca, são as três classificações principais.
No dia seguinte à publicação, vozes de protesto já se fizeram ouvir no que diz respeito ao termo "preta", pois entendem os milindrados que deve ser "negra". E na verdade assim consta como discriminatório o uso de preto em vez de negro, podendo até mesmo originar uma indiciação de processo a quem usar um termo no lugar do outro. O próprio IBGE manifestou-se dizendo ser "preto" um termo justificável para pesquisa...
Como português, fico perdido tal cachorro em dia de mudança (...), pois em Portugal é corrente o termo preto e nós talvez sejamos o povo menos racista do Mundo. Porque assim, não uso nem um nem outro dos termos por precaução nas brincadeiras entre amigos e por aculturação natural e pessoal.
Sempre afirmo e reafirmo que essas coceirinhas por parte dos que não são brancos, pardos, amarelos e indígenas, abrem elas mesmas um fôsso que não seria para existir. A própria política de cotas para acesso ao ensino superior, ela própria é um reconhecimento das desigualdades ou uma afirmação da mesma.
Para o Ministério da Igualdade Racial foi nomeada uma afro-brasileira. Esta acabou por se envolver num escândalo e foi demitida. Para o seu lugar foi nomeado um titular da mesma raça. E aqui eu acho que deveria haver uma certa rotatividade para fazer jus ao nome da Instituição...

ONTEM E HOJE

Lá em Montemor-o-Velho aquele aluno de 12 anos ameaçou quebrar os óculos do professor e, antes que este se apercebesse da autenticidade e eminência da ameaça, não deu outra...
Não sei se se verificará algum tipo de punição para o jóvem rebelde, pois que tudo mudou tanto em relação ao meu tempo que, além do próprio termo "rebelde" ter outra conotação, certamente haverá reuniões de Conselhos disto e daquilo, de representatividades tantas quantas as que couberem.
Imaginem eu com os meus 14 anos. Tinha passado do terceiro para o quarto ano (antigo 2º do Curso Geral de Comércio). O meu grande sonho era seguir a "Escola Naval" como curso superior. Rebeldia por parte dos jóvens existia aquela sem tempêro própria da adolescência em todos os tempos, mas sempre com um temor oculto e respeito explícito perante os mais velhos, principalmente os pais e professores.
"Contabilidade" era uma das disciplinas do currículo do curso e eu era tão bom nesta como nas demais --- sempre raspando a linha dágua. Nunca me dediquei a estudar muito, menos ainda adormecer sobre os livros no entrar da madrugada. Gravava na memória o essencial e ía arquitetando uma base mínima de conhecimentos. O típico aluno normal.
Naquele dia do qual jamais me esquecerei, tinha prova da disciplina referida. Eu era muito bom na letra francêsa e na inglesa (bastardos, bastardinhos, cursivos e cursivinhos) com as quais se escrevia os nomes das contas e a descrição das mesmas. Porém, no conteúdo eu estava um pouco fraco e deduzi que não conseguiria fazer o mínimo para alcançar nota positiva; ficaria abaixo da linha dágua dessa vez... Foi então que a minha rebeldia aflorou e, após meia dúzia de rabiscos e bobagens, escrevi: "continúa no próximo folhetim"... E isto porque naquela época estavam muito em moda as rádio-novelas e esse era o termo usado no fim do folhetim de cada dia...
A professora, da qual não me lembro o nome e nunca esforço fiz para o memorizar, logo me denunciou à directoria da escola. Foi reunido o Conselho de Professores que me castigou com oito dias de suspensão, que já emendaram com as férias de Natal...
Na volta das férias, período novo e vida nova! Seria mesmo assim?!
Dois meses passados e chegou o dia de uma prova de "Inglês". Confesso que sempre gostei mais de "Francês"... Todos na sala de aula preparados para a prova e eis que a professora (outra), chegou bem pertinho de mim e disse textualmente: "tu, que não sabes merda nenhuma, escreve qualquer coisa e faz também uns bonequinhos na folha!" . Como na verdade eu tinha dificuldades nessa matéria, fiz exactamente tudo do modo que ela sugeriu. Resultado: um mês de suspensão. Vencendo a minha timidez e angariando forças ainda me desloquei até à casa da professora para lhe pedir desculpas e, de algum modo, suavizar a penalidade. Resultado: negativo! e ainda a humilhação quando da próxima aula, pois para todos os meus colegas ela disse que eu me ajoelhara a seus pés, etc., etc, etc..
Não passei de ano exactamente por causa dessas duas suspensões. No ano seguinte o meu pai ordenou que eu estudasse no curso nocturno e trabalhasse durante o dia. E o meu sonho de um dia ser Oficial da Marinha acabou ali. A D. Ivone Andrade, professora de inglês, suicidou-se há alguns anos atrás.

PAU NELE!

Árbitros tramaram Valentim
Bruno Paixão, Paulo Januário e Elmano Santos foram ouvidos no âmbito do 'Apito Final' e trouxeram elementos novos que agora permitem a Maria José Morgado reabrir pelo menos três dos processos do 'Apito Dourado' que tinham sido arquivados por falta de provas. Esses casos apenas devem atingir Valentim Loureiro, já que, relativamente a Pinto da Costa, as investigações versaram sobre processos onde houve acusação do Ministério Público.(...)
Assim reza a notícia que recebi pelo "newsletters" do "Correio da Manhã. É daquelas notícias que abrem expectativas para um dia gostoso quando ao acordar e me preparar para a nova jornada.
Aqui no Brasil tinha o tal de "Toninho Malvadeza" que já passou para o andar de cima, quiçá para o inferno (se é que existe). Quanto a esse gajo, aí em Portugal, bem que poderíamos cognomiá-lo de "Valentim Malvadeza", pois também lhe assentaria muito bem, pelo menos em substituição a "Major", aqui sujando a Instituição Militar...

terça-feira, maio 13, 2008

BOLSAS PARA TIMOR

O prazo para interessados em bolsa no Timor Leste termina dia 14. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério de Educação (Capes/MEC) está com inscrições abertas até 14 de maio para bolsas do Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa no Timor Leste. O programa é uma parceria entre a Capes e o Ministério da Educação e Cultura de Timor Leste. Serão selecionados até 50 bolsistas. Os candidatos escolhidos receberão bolsa mensal da Capes no valor de € 1.100, para bolsistas, e de € 2.000 para o coordenador (com mestrado); seguro-saúde; auxílio-instalação; e passagem aérea Brasil/Timor Leste/Brasil, em classe econômica promocional. O início das atividades está previsto para julho de 2008. Mais informações no edital. http://www.capes.gov.br/bolsas/cooperacao/timor_leste.html

domingo, maio 11, 2008

A CAMINHO DO TÍTULO

Foi um resultado inexpressivo, é certo, mas foi realmente um bom começo na disputa deste campeonato nacional brasileiro. Inter 1 x Vasco 0. E quase me esquecia de sublinhar que jogámos com os reservas para poupar o time principal para o Copa Brasil. Como português que sou, sempre lamento as perdas do Vasco ou da Portuguesa mas, o meu Inter é o time do coração.

sábado, maio 10, 2008

DIA DAS MÃES (homenagem)

Mãe: Alô? Filha: Mãe? Posso deixar os meninos contigo hoje à noite? Mãe: Vai sair? Filha: Vou. Mãe: Com quem? Filha: Com um amigo. Mãe: Não entendo porque você se separou do teu marido, um homem tão bom... Filha: Mãe! Eu não me separei dele! Ele que se separou de mim! Mãe: É... você me perde o marido e agora fica saindo por aí com qualquer um... Filha: Eu não saio por aí com qualquer um. Posso deixar os meninos? Mãe: Eu nunca deixei vocês com a minha mãe, para sair com um homem que não fosse teu pai! Filha: Eu sei, mãe. Tem muita coisa que você fez que eu não faço! Mãe: O que você tá querendo dizer? Filha: Nada! Só quero saber se posso deixar os meninos. Mãe: Vai passar a noite com o outro? E se teu marido ficar sabendo? Filha: Meu ex-marido? Não acho que vai ligar muito, não deve ter dormido uma noite sozinho desde a separação! Mãe: Então você vai dormir com o vagabundo!? Filha: Não é um vagabundo!!! Mãe: Um homem que fica saindo com uma divorciada com filhos só pode ser um vagabundo, um aproveitador! Filha: Não vou discutir, mãe. Deixo os meninos ou não? Mãe: Coitados... Com uma mãe assim... Filha: Assim como? Mãe: Irresponsável! Inconsequënte! Por isso teu marido te deixou! Filha: Chega!!! Mãe: Ainda por cima grita comigo! Aposto que com o vagabundo que tá saindo contigo você não grita. Filha: Agora tá preocupada com o vagabundo? Mãe: Eu não disse que era vagabundo!? Percebi de caras! Filha: Tchau! Mãe: Espera, não desliga! A que horas vai trazer os meninos? Filha: Não vou. Não vou levar os meninos, também agora não vou mais sair! Mãe: Não vai sair? Vai ficar em Casa? E você acha o que, que o príncipe encantado vai bater na tua porta? Uma mulher na tua idade, com dois filhos; pensa que é fácil encontrar marido? Se deixar passar mais dois anos, aí sim que vai ficar sozinha a vida toda! Depois não vai dizer que não avisei! Eu acho um absurdo, na tua idade você ainda precisar que eu te empurre para sair! (Luis Fernando Verissimo)

FUTEBOL PORTUGUÊS

Todos o que me dão o prazer de entrar no blog sabem que eu sou benfiquista. Porém, o meu comentário de hoje não é mandado pelo palpitar dessa veia, mesmo sendo vermelho o sangue que nela corre... Sou totalmente isento na minha opinião.
Chegou-se ao final do caso "apito dourado" e puniram-se os dois principais clubes intervenientes. O Boavista foi rebaixado à segunda divisão e o Porto perdeu 6 pontos na tabela de classificação, além das multas a pagar pelos dois.
Sempre tive alguma simpatia pelo clube enxadrezado, não sei se por causa da sua camisa que, realmente, sempre achei bonita e única; sei que existe a da Croácia, mas isso são outros quinhentos... Não obstante, acho que a punição foi justa. Lamento pelo torcedor honesto que tem amor ao clube, como o da foto que ilustra esta postagem, mas todos eles deveriam de ter deixado de idolatrar e sustentar a arrogância dos Loureiros da vida.
Quanto ao Porto, a punição acabou por não surtir efeito ao ponto de causar grande estrago; creio que o fanfarrão ainda deve dar risada naquele seu jeito cínico. O certo era ter sido também rebaixado, mesmo que o grande beneficiário viesse a ser o Sporting...

sexta-feira, maio 09, 2008

AZULÃO

Não posso afirmar que eu seja um desprotegido da sorte, mas sim uma vítima da sacanagem. Eu e muitos outros, pois não quero trazer só para mim as lamentações. Muita gente não liga para essas coisas, mas eu costumo participar do mesmo modo que participo das loterias (ou lotarias em Portugal...), acreditando que o "jogo" seja limpo e transparente, se bem que nem sempre se possa ter um certificado dessa transparência.
Quando jóvem participava intensamente de certos concursos da rádio ou dos jornais; hoje faço-o esporádica e selectivamente. Na antiga "Emissora Nacional" eu ganhei por diversas vezes bons livros, que eram os prémios oferecidos aos que fôssem sorteados entre os que tivessem respondido a perguntas formuladas ou participado da programação de qualquer outra forma.
Numa certa vez estava viajando naquele velho e sonolento "comboio" do Barreiro para Évora e lendo o jornal para não me aperceber das horas que essa viagem demorava para percorrer os 144 km do trajecto... Notei que o jornal (Diário de Notícias) mantinha um concurso no qual publicava uma foto de uma cidade e pedia para que a mesma fôsse identificada. Respondi através de um postal e fui premiado com 500 contos; um bom dinheiro.
Citei dois casos positivos, não atribuindo essa positividade ao facto de ter sido eu o vencedor, claro. Agora citarei dois negativos dos quais também participei.
Lá na velha Escola de Santa Clara, em Évora, o professor de história mandou que a classe fizesse uma pesquisa sobre os Descobrimentos Portugueses, pois comemoravam-se os 500 anos do início dos mesmos. O autor do melhor trabalho teria depois que discursar sobre o mesmo para toda a turma. O prémio era a participação gratuita na excursão anual que a Escola realizava a qualquer uma outra região do país e nesse ano era no Algarve. Esforcei-me além dos limites; fui um verdadeiro "rato de biblioteca". Decorei aquele trabalho letra por letra de um calhamaço de páginas soltas. O meu trabalho foi o eleito e lá na frente o meu discurso decorado foi impecável.
Como poderia um aluno médio, daqueles que só fazem uma ligeira leitura dos livros e cadernos na véspera das provas e exames, ganhar do melhor da turma, o tradicional CDF e que ainda por cima era filho de um dos professores do curso industrial!? Isso não era justo, no julgamento deles, e foi agendado um outro trabalho, o qual deveria ser feito durante o período de uma aula E e não mais em casa...
Sem sombra de dúvidas sobre quem foi o vencedor, sendo até estarrecedor que o trabalho entregue estava dactilografado... Esse meu colega "sortudo" é hoje professor na Universidade de Coimbra. O tipo era bom mesmo...
Aqui no Brasil e agora puxando o cenário para os tempos actuais, a companhia aérea norte-americana JetBlue anunciou o seu interesse e planos para criação de uma empresa no país. Lançou um tipo de concurso para escolha do nome com o que a empresa operaria. A participação era aberta a qualquer indivíduo através da internet. O criador do nome mais votado seria premiado como "viajante vitalício" sem pagar passagens. O prémio era tentador e teclar meia dúzia de palavras no computador e enviar, não custava nada. Como eram facultadas várias alternativas, exigi da minha imaginação e sugeri alguns nomes interessantes e relacionados com o Brasil.
Agora foi publicado o nome escolhido: AZUL. A empresa passar-se-á a chamar "Azul Linhas Aéreas Brasileiras... Até dá vontade de escrever aqui um nome chulo para mandar todos para aquele lugar mas, como era azul e azul ficou, direi que por aqui e comigo está tudo azul e na santa paz...

quinta-feira, maio 08, 2008

MEU BRASIL BRASILEIRO

Vai transar?
O governo dá camisinha.
Já transou?
O governo dá a pílula do dia seguinte.
Engravidou?
O governo dá o salário - maternidade e ainda 180 diassem fazer nada.
O filho cresceu?
O governo dá a Bolsa Família.
Tá desempregado?
O governo dá Bolsa Desemprego.
Vai prestar vestibular?
O governo dá a Bolsa Cota.
Não tem terra?
O governo dá o Bolsa Invasão.
Agora, experimenta trabalhar pra ver o que é que te acontece...

ACIDENTE

Acidente rodoviário com a torcida do Palmeiras

MEDICINA EM PORTUGAL

Em 6 dias operou tanto como 5 (!!!) médicos num ano e por metade do preço cobrado na privada.
Em seis dias, um oftalmologista espanhol realizou 234 cirurgias a doentes com cataratas no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, num processo que está a "indignar" a Ordem dos Médicos. Os preços praticados são altamente concorrenciais, tendo sido esta a solução encontrada pelo hospital para combater a lista de espera. O paciente mais antigo já aguardava desde Janeiro de 2007, tendo ultrapassado o prazo limite de espera de uma cirurgia. No ano passado chegaram a existir 616 novas propostas cirúrgicas em espera naquela unidade de saúde.
Os sete especialistas do serviço realizaram apenas 359 operações em 2007 (cerca de 50 por médico num ano). No final do ano passado, a lista de espera era de 384, e foi entretanto reduzida a 50 com a intervenção do médico espanhol.
A passagem pelo Barreiro durante o mês de Março - onde garante regressar nos próximos dois anos, embora o hospital não confirme - foi a segunda experiência em Portugal do oftalmologista José Antonio Lillo Bravo, detentor de duas clínicas na Extremadura espanhola - em Dom Benito (Badajoz) e Mérida. Entre 2000 e 2003 já havia realizado 1500 operações no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, indiferente às "críticas" de que diz ter sido alvo dos colegas portugueses. "Eu percebo a preocupação deles e sei porque há listas de espera tão grandes em Portugal. É que por cada operação no privado cobram cerca de dois mil euros", diz ao DN o oftalmologista espanhol, inscrito na Ordem dos Médicos portuguesa, que cobrou 900 euros por cada operação realizada no Barreiro.
As 234 cirurgias realizadas no Barreiro, por um total de 210 mil euros, foi o limite possível sem haver necessidade de abrir concurso público internacional, sendo que o médico fez deslocar a sua equipa e ainda o microscópio e o facoemulsificador. O hospital disponibilizou somente um enfermeiro para prestar apoio.

AUTO ESTRADAS

Um ministro africano em viagem oficial a Portugal é convidado para um jantar particular em casa do seu homólogo português.
Ao ver o luxo da mansão, os quadros de pintores famosos nas paredes, pergunta ao outro como é que consegue aquele nível de vida com o modesto ordenado de ministro.
O português leva-o até à janela e diz-lhe:
- Vê aquela auto estrada lá em baixo?
- Sim, responde o africano.
- Ela custou 20 milhões, a empresa facturou 21 ao estado e ofereceu-me a diferença.
Dois anos mais tarde, o ministro português está em visita oficial a África e é convidado pelo seu colega. Quando chega a casa deste, descobre um palácio como nunca tinha visto, inteiramente feito em mármore. Espantado, pergunta:
- Não compreendo. Há dois anos você achava que eu tinha um nível de vida principesco; mas quando comparado consigo...
O ministro africano leva-o até à janela e diz:
- Vê aquela autro estrada lá em baixo?
- Não!...

MANIFESTO

MANIFESTO
EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA
CONTRA O ACORDO ORTOGRÁFICO
(Ao abrigo do disposto nos Artigos n.ºs 52.º da Constituição da República Portuguesa, 247.º a 249.º do Regimento da Assembleia da República, 1.º nº. 1, 2.º n.º 1, 4.º, 5.º 6.º e seguintes, da Lei que regula o exercício do Direito de Petição)
Ex.mo Senhor Presidente da República Portuguesa
Ex.mo Senhor Presidente da Assembleia da República Portuguesa
Ex.mo Senhor Primeiro-Ministro de Portugal
1 – O uso oral e escrito da língua portuguesa degradou-se a um ponto de aviltamento inaceitável, porque fere irremediavelmente a nossa identidade multissecular e o riquíssimo legado civilizacional e histórico que recebemos e nos cumpre transmitir aos vindouros. Por culpa dos que a falam e escrevem, em particular os meios de comunicação social; mas ao Estado incumbem as maiores responsabilidades porque desagregou o sistema educacional, hoje sem qualidade, nomeadamente impondo programas da disciplina de Português nos graus básico e secundário sem valor científico nem pedagógico e desprezando o valor da História.
Se queremos um Portugal condigno no difícil mundo de hoje, impõe-se que para o seu desenvolvimento sob todos os aspectos se ponha termo a esta situação com a maior urgência e lucidez.
2 – A agravar esta situação, sob o falso pretexto pedagógico de que a simplificação e uniformização linguística favoreceriam o combate ao analfabetismo (o que é historicamente errado), e estreitariam os laços culturais (nada o demonstra), lançou-se o chamado Acordo Ortográfico, pretendendo impor uma reforma da maneira de escrever mal concebida, desconchavada, sem critério de rigor, e nas suas prescrições atentatória da essência da língua e do nosso modelo de cultura. Reforma não só desnecessária mas perniciosa e de custos financeiros não calculados. Quando o que se impunha era recompor essa herança e enriquecê-la, atendendo ao princípio da diversidade, um dos vectores da União Europeia.
Lamenta-se que as entidades que assim se arrogam autoridade para manipular a língua (sem que para tal gozem de legitimidade ou tenham competência) não tenham ponderado cuidadosamente os pareceres científicos e técnicos, como, por exemplo, o do Prof. Óscar Lopes, e avancem atabalhoadamente sem consultar escritores, cientistas, historiadores e organizações de criação cultural e investigação científica. Não há uma instituição única que possa substituir-se a toda esta comunidade, e só ampla discussão pública poderia justificar a aprovação de orientações a sugerir aos povos de língua portuguesa.
3 – O Ministério da Educação, porque organiza os diferentes graus de ensino, adopta programas das matérias, forma os professores, não pode limitar-se a aceitar injunções sem legitimidade, baseadas em “acordos” mais do que contestáveis. Tem de assumir uma posição clara de respeito pelas correntes de pensamento que representam a continuidade de um património de tanto valor e para ele contribuam com o progresso da língua dentro dos padrões da lógica, da instrumentalidade e do bom gosto. Sem delongas deve repor o estudo da literatura portuguesa na sua dignidade formativa.
O Ministério da Cultura pode facilitar os encontros de escritores, linguistas, historiadores e outros criadores de cultura, e o trabalho de reflexão crítica e construtiva no sentido da maior eficácia instrumental e do aperfeiçoamento formal.
4 – O texto do chamado Acordo sofre de inúmeras imprecisões, erros e ambiguidades – não tem condições para servir de base a qualquer proposta normativa. É inaceitável a supressão da acentuação, bem como das impropriamente chamadas consoantes “mudas” – muitas das quais se lêem ou têm valor etimológico indispensável à boa compreensão das palavras. Não faz sentido o carácter facultativo que no texto do Acordo se prevê em numerosos casos, gerando-se a confusão. Convém que se estudem regras claras para a integração das palavras de outras línguas dos PALOP, de Timor e de outras zonas do mundo onde se fala o Português, na grafia da língua portuguesa. A transcrição de palavras de outras línguas e a sua eventual adaptação ao português devem fazer-se segundo as normas científicas internacionais (caso do árabe, por exemplo).
Recusamos deixar-nos enredar em jogos de interesses, que nada leva a crer de proveito para a língua portuguesa. Para o desenvolvimento civilizacional por que os nossos povos anseiam é imperativa a formação de ampla base cultural (e não apenas a erradicação do analfabetismo), solidamente assente na herança que nos coube e construída segundo as linhas mestras do pensamento científico e dos valores da cidadania.
Nota do bloguista: Os que pretenderem participar deverão accionar o "site" http://www.ipetitions.com/petition/manifestolinguaportuguesa/