quarta-feira, março 26, 2014

Queijadas do Céu

Queijada de Estremoz é dada a conhecer ao mundo pelo serviço de bordo dos aviões da TAP !


segunda-feira, março 24, 2014

Gato Bravo

Libertação de linces-ibéricos preocupa proprietários rurais do Vale do Guadiana
 

 
A libertação de exemplares de lince-ibérico até final da primavera em Portugal está em risco por falta de condições, alertou recentemente a Associação Nacional de Proprietários Rurais, Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC), que representa a maioria das zonas de caça e dos proprietários rurais da região do Vale do Guadiana, no Baixo Alentejo, a zona onde os animais serão libertados.
Em comunicado, a ANPC refere que ainda não estão reunidas as condições mínimas fundamentais para que a reintrodução do lince-ibérico em Portugal possa acontecer e venha a ser um sucesso. Por isso, a prevista libertação em Portugal de oito linces-ibéricos criados em cativeiro está seriamente em risco, alerta a ANPC. Há aspetos essenciais que têm de ser salvaguardados para que o lince-ibérico possa ser reintroduzido com êxito, como haver coelho-bravo, a principal presa do lince-ibérico, em número suficiente para o felino se poder alimentar, o que não está garantido, disse à Lusa o secretário-geral da ANPC, João Carvalho.
Atualmente, a densidade de coelho-bravo é bastante reduzida, devido a quedas abruptas das populações provocadas por uma nova doença, o que põe em risco a reintrodução do lince-ibérico, que depende quase exclusivamente daquela espécie de coelho para se alimentar, disse.
Se não houver coelho-bravo em número suficiente, os linces-ibéricos terão de percorrer distâncias enormes à procura de alimento, correndo risco de morrerem atropelados, ou virar-se para outras presas, como perdiz, lebre, galinhas e ovelhas. Por outro lado, disse João Carvalho, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas e organizações do setor da caça ainda não subscreveram o convénio para a conservação do lince-ibérico proposto pela ANPC e que é essencial para se poder formalizar acordos com os proprietários e entidades gestoras das zonas de caça situadas na área abrangida pela reintrodução do felino em Portugal.
Em declarações à Lusa, o secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel castro Neto, disse que as questões levantadas pela ANPC são assuntos que estão a ser acompanhados por técnicos do projeto LIFE+ Iberlince para conservação e reintrodução da espécie na península Ibérica. A evolução do estado das populações de coelho-bravo nas zonas potenciais de reintrodução de lince-ibérico está a ser acompanhada em permanência e os atuais números de coelho-bravo não colocam em causa a planeada libertação dos oito exemplares em Portugal até final da primavera, afirmou. Estamos a falar de natureza, de condições que não controlamos, mas estamos convencidos de que, se não houver alguma alteração súbita, a questão do coelho-bravo não será um fator limitante para a libertação dos oito exemplares, frisou o governante.
A Iberlinx - Associação para a conservação do lince-ibérico está no terreno a desenvolver ações de monitorização e de recuperação das condições favoráveis à reprodução de coelho-bravo e, por isso, acredito que haja uma evolução positiva que permita assegurar a libertação dos exemplares até final da primavera, disse.
A libertação em Portugal dos oito exemplares, decidida esta semana pelo comité ibérico do projeto LIFE+ Iberlince, vai decorrer de forma gradual, sendo que primeiro serão libertados três, depois mais três e finalmente dois, disse o governante.
De acordo com Miguel castro Neto, o trabalho relativo ao convénio está em curso e o facto de ainda não estar concluído e subscrito em nada prejudica o projeto de libertação dos oito exemplares de lince-ibérico.
Segundo João Carvalho, a ANPC, após ter pedido um audiência, vai ser recebida hoje, segunda-feira, por Miguel castro Neto, a quem irá transmitir as suas preocupações. 






In Diário do Alentejo - On line

sábado, março 22, 2014

Abacaxi e Diabetes

O abacaxi é uma fruta deliciosa que oferece vários benefícios à saúde, alguns dos quais podem ajudar as pessoas que têm diabetes. Ele é uma excelente fonte de vitamina C, um nutriente especialmente importante na proteção do organismo contra os radicais livres que fazem as placas se acumularem nas artérias, aumentando as doenças do coração diabético. Além disso, o abacaxi contém uma enzima conhecida como bromelina que contribui com uma variedade de funções benéficas para o corpo humano. Em particular, é conhecida por ser um anticoagulante natural que rompe uma proteína de coagulação do sangue conhecido como fibrina. Além disso, a bromelina dilui o muco, melhora a função imunológica, ajuda na digestão, atua como um anti-inflamatório e pode aumentar a eficácia de certos antibióticos (especificamente: amoxicilina, eritromicina, penicilamina, e penicilina).
Abacaxis, dizem ser originários do Brasil ou Paraguai, e muito antes dos Europeus chegarem à América Central, a fruta já tinha se espalhado por toda a região. Foi introduzido pela primeira vez na Europa por Cristóvão Colombo, que trouxe de volta alguns frutos de sua viagem para o novo mundo. Durante séculos após a sua primeira descoberta, o abacaxi foi amplamente cobiçado por seu sabor delicioso e raridade, tanto nos Estados Unidos como em todo o Atlântico. Como a fruta tendia a perecer rapidamente, conseguir um abacaxi fresco era difícil e, então, passou a representar um símbolo de status social. Simplesmente tê-lo em uma reunião social, dava ao anfitrião uma impressão favorável entre os seus convidados.
O abacaxi é extremamente versátil e pode ser utilizado de várias maneiras. Com o aumento da facilidade de se obter esta fruta durante o século 20, as pessoas passaram a ser criativas no modo como preparar esta iguaria considerada rara até então. Além de comer a fruta simplesmente crua, podemos misturá-lo em um smoothie, ou agregá-lo em qualquer tipo de salada para realçar o sabor dos pratos. Iogurte geralmente fica bem com qualquer combinação de frutas, e abacaxi não é uma exceção. Coloque-o para assar em seu próximo churrasco, e depois sirva com carnes, aves, ou peixe para criar uma refeição com uma fantástica mistura de sabores, além de ajudar na digestão. Pode-se também colocá-lo em uma mistura de vinagrete, e desta forma usá-lo em conjunto com outros alimentos.
Finalmente, damos-lhe as informações nutricionais de uma porção: 1 xícara de abacaxi picado é livre de gorduras e fornece 60 calorias, 1 g de fibras, 13 g de açúcares, 0 g de proteínas, e mais de 130 % de suas necessidades diárias de vitamina C. Aproveite!

In http://blogbr.diabetv.com

Azeitonas


Aqui no Brasil só chegam as azeitonas em conserva, inteiras, provenientes de Portugal, Espanha, Grécia e Argentina principalmente. Tanto as verdes como as maduras. E, assim, quem não tem cão caça com gato...

Lá no meu Alentejo os dois tipos de azeitona preferidos são as retalhadas (fotos 2 e 3)
e as pisadas (fotos 4 e 5).
Retalhadas ou pisadas, ambas são deliciosas e se saboreiam ainda com aquele frescor da apanha recente, se bem que se podem conservar por bastante tempo.
Pessoalmente gosto mais das pisadas.

terça-feira, março 18, 2014

Golf no Alentejo

O GOLF CHEGOU AO ALENTEJO !!!
Três Alentejanos reunidos tentam encontrar uma nova maneira de passar o tempo.
Diz um:
- Oh compadris, já chega de sueca e dominó. Tou farto disto!!
Diz outro:
- Atão e se fossemos jogar golfi ?
Pergunta o primeiro:
- Atão, oh! compadri, com'é quisso se joga ?
- É c'um pau, umas bolas e um buraco.
Responde o outro :
- Atão tá beim ; ê cá dou o pau.
Diz o segundo:
- Prontos ê cá dou as bolas.
Responde o terceiro :
- Cumpadres, ê cá nã jogo.

Brancos e Tintos

Quatro vinhos alentejanos no Top 10 dos vinhos portugueses
 

 
Quatro vinhos alentejanos foram premiados na 11.ª edição do Essência do Vinho, que decorreu recentemente no Porto, divulgou ontem a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).
No “Top 10 Vinhos Portugueses”, no âmbito do evento, realizado entre 27 de fevereiro e 02 de março, o setor vinícola do Alentejo esteve representado por quatro vinhos, dos produtores Sociedade Agrícola D. Diniz, João Portugal Ramos, Herdade da Malhadinha Nova e Susana Esteban.
O Alentejo é a região líder no mercado nacional, quer na quota de mercado em volume (43,1 por cento), quer em valor (44,3 por cento), segundo os dados ACNielsen, na categoria de vinhos engarrafados de qualidade com classificação DOC e IG.


http://da.ambaal.pt/noticias/?id=5140 

sábado, março 15, 2014

Os ETs voltaram

Seguindo a rota normal de Kuala Lumpur a Pequim, o voo MH 370 da Malaysia Airlines sumiu dos radares civis, mas não dos militares que detectaram o Boing 777 depois da perda de contato numa série de malabarismos em diferentes altitudes e rotas.
Naturalmente que o avião não caíu em lugar algum pois que, a ser assim, com todos os meios disponíveis e em uso, partes do mesmo já teríam sido avistadas.
No momento do último sinal captado houve a aproximação de uma nave extra terrestre, que não se pode imaginar de qual Planeta é oriunda, a qual sincronizou a velocidade com a do avião e usou os seus dispositivos magnéticos para segurar a pouca distância o aparelho com total segurança. Numa segunda fase da operação os motores do boing foram desligados e este passou a ser parte da nave.
Num brusco movimento de alteração da rota, a direção tomada pela nave foi o Estreito de Malaca, agora uma espécie de Triângulo das Bermudas onde, do mesmo modo, sumiram em 1945 cinco bombardeiros e mais alguns aviões de resgate, assim como o Constellacion da Tiger Line que em 1962 sumiu entre o Vietnã e as Filipinas. De todos jamais foram encontrados destroços.
Neste ponto do Planeta Terra, o Estreito de Malaca, a nave extra terrestre adquiriu a sua velocidade original e sumiu em direção ao infinito.
Não é de ontem que nós, terrenos, estamos na mira dos ETs em vários pontos do nosso Planeta ou mesmo nas incursões a alguns e tentativas a outros. Enquanto isso alimentamos hipóteses e dúvidas tão sòmente enquanto as autoridades continuem a manter completo sigilo sobre presumíveis aparições, como o caso de Varginha no Estado de Minas Gerais.

sexta-feira, março 14, 2014

Pedreiras de Estremoz

Cátia Gomes Marques apresentou, no inicio deste ano, em Hong Kong (China), um projeto de reconversão da pedreira de Santo António, em Estremoz, que transforma o espaço num hotel de luxo.
“Desenvolvi este projeto no intuito de valorizar o património e a cidade de Estremoz. O projeto foi inclusive registado na sociedade de autores pelo seu valor e singularidade. Além de muito reconhecido no meio académico, tem-lo sido também aqui em Hong Kong, ao contrário do que aconteceu localmente. Apresentei os documentos correspondentes ao trabalho desenvolvido, penso que, em 2012, à Câmara Municipal de Estremoz e a reação obtida não foi nenhuma”, refere a jovem arquiteta.
O trabalho desenvolvido pela alentejana promove a recuperação da pedreira de Santo António, reconhecendo o atual prejuízo territorial e paisagístico e, em simultâneo, a exclusividade e potencialidade das suas características.
“Alguns projetos, como o da Pedreira de Santo António, podem revelar-se a ‘imagem de marca’ de uma região. Verificam-se atualmente uma diversidade de atrativos turísticos, reconhecidos mundialmente, resultantes da reabilitação de pedreiras, como por exemplo as piscinas naturais de St Marry’s Quarry no Canadá, a Ópera de Dalhalla na Suécia ou o Estádio Municipal de Braga em Portugal”, considera.
Natural da freguesia de Cano (Sousel), Cátia Marques está em Hong Kong há cerca de um ano, onde acompanha a de obra de uma estação naquela cidade.
“Gosto muito do que faço e valorizo muito a oportunidade de trabalho que este país me oferece”, finaliza.
Principais ideias da reconversão ● Parque turístico ímpar; ● Reabilitação e reconversão dos poços extrativos; ● Poço de mergulho artificial e um hotel esculpido no mármore; ● Reconversão do poço Noroeste da pedreira numa piscina natural pública; ● Desenvolvimento de atividades e desportos, como o polo aquático e mergulho; ● Reconversão do poço Sudeste num hotel de mármore; ● O Mármore Hotel Spa terá uma área de aproximadamente 0,9 hectares; ● Desenvolve-se aproximadamente até 30 metros de distância da cota terrestre; ● Hotel disponibiliza experiências únicas de habitar os reconhecidos mármores de Estremoz na sua origem; ● O projeto pressupõe a criação de parcerias públicas e privadas.


 Publicação de

sábado, março 08, 2014

Ainda as Mulheres

Em muitos lugares do Planeta, mercê  dos fusos horários, o Dia Internacional da Mulher já é coisa do passado. Aqui no Brasil, de onde escrevo neste momento, ainda se comemora esse dia por mais uma hora e meia... É portanto, pertinente a minha abordagem do tema Mulher.
No decorrer deste dia, muito se escreveu e falou sobre infindáveis vertentes que o tema abrange. Chamou-me especialmente a atenção uma reportagem da televisão em que se prevê que as oportunidades de emprego só sejam iguais entre homens e mulheres daqui a pelo menos vinte anos. E ainda na mesma reportagem, a contestação de haver maior número de estudantes e formaturas do sexo feminino, porém sem acesso a cargos só desempenhados pelos homens.
Concordo em que tudo isso é uma triste realidade, apesar de já se ter avançado muito nesse ambicionado campo da igualdade de oportunidades e competências. A comprovar isso, fora da generalidade, tenho algumas amigas pessoais engenheiras de produção e da construção civil, delegadas de polícia, motoristas de caminhão e de outras profissões até há pouco tempo campo restrito aos indivíduos do sexo masculino.
Mas, o fulcro desta questão que abordo hoje é o facto de confessar que tenho muito orgulho de quando naquela época distante, início dos anos 70, eu tomei uma iniciativa, incrédula para muitos.
Ocupando o cargo de gerente de produção na então Purina do Brasil, uma multinacional líder do ramo de alimentação animal, fui convidado a exercer o mesmo cargo na Mogiana Alimentos (Guabí), hoje também uma gigante do ramo.
Mudei-me com armas e bagagem da cidade de Canoas, no extremo sul do Brasil, para a cidade de Orlândia, ao norte do estado de São Paulo.
A primeira missão foi supervisionar a montagem da nova fábrica nos armazéns desactivados de uma grande empresa de produção de óleos vegetais. Em paralelo a essas funções, também me coube a montagem das equipes que viríam a operar os vários setores fabris.
Nos muitos momentos em que planejava uma série de medidas, lembrei-me de minha mãe em Portugal, que trabalhava numa fábrica de massas e rações no setor de sacarias. Um trabalho muito duro para uma mulher, mas que não era raro no meu Alentejo. Inspirei-me nisso e coloquei sobre a mesa de reuniões com a diretoria a viabilidade de contratar mulheres para algumas áreas da produção.
A ideia não foi muito bem aceite num primeiro impacto gerado. Se aprovada a minha sugestão, seria a primeira fábrica do género a empregar mulheres em cargos até então ocupados por homens. E ainda conspirava contra mim o conservadorismo daquela região em que predominavam as regras dos grandes fazendeiros, alguns dos quais sócios da nova empresa...
Com base na minha insistência e dando o aval de que a experiência inovadora daria certo, houve acordo.
Comecei a treinar a supervisão sectorial e as equipes de operários e operárias. Estas eu coloquei em serviços mais leves, naturalmente, como operadoras de ensaque, de costura da sacaria, rotulagem de embalagens, varrição e micro mix.
Sem querer desfazer dos homens, o rendimento de produção das mulheres era mais alto. Elas se debruçavam nos seus afazeres com muito mais responsabilidade e menos tempo perdido. A simples presença delas no mesmo
espaço impunha um certo respeito que contrariava algumas previsões.
Muitos anos já se passaram desde que eu abandonei essa profissão e abracei outras no decorrer da minha vida profissional. Mas ainda hoje me orgulho daquele pioneirismo na emancipação da mulher.

FORUM HAKSESUK: Tribunal Internacional de Justiça anuncia medidas ...

FORUM HAKSESUK: Tribunal Internacional de Justiça anuncia medidas ...: No dia 3 de Março o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) proferiu uma decisão interlocutória quanto ao pedido, por Timor-Leste, de me...